SONO RESTAURA A SAÚDE!


MELATONINA – PRODUÇÃO DE SEROTONINA E ANTIOXIDANTE

A Melatonina, N-acetil-5metoxitriptamina, é um hormônio sintetizado pela glândula pineal, caracteristicamente no período noturno, porém ela também é fabricada na retina e no trato gastrointestinal. A escuridão é o requisito absoluto para a sua produção e liberação e a luz rapidamente suprime a sua síntese. Esta é a razão da concentração de melatonina no sangue e nas células ser 3 a 10 vezes maior à noite. Quando o indivíduo acorda e recebe a luz intensa do sol da manhã a Melatonina se transforma em serotonina, hormônio do bom humor.


A redução da elaboração de Melatonina pode ser atribuída a diversos fatores, como a carência de nutrição, a associação de substâncias químicas e remédios, o estresse e o processo de envelhecimento. Sob estresse, o indivíduo passa a produzir mais cortisol e adrenalina, que por sua vez levam à produção de radicais livres, tornando as células mais propensas à ocorrência de uma lesão. A adrenalina e o cortisol levam o organismo a sintetizar uma enzima conhecida como Triptofano pirolase, que tem o poder de eliminar o Triptofano, impedindo assim a elaboração da Melatonina e da Serotonina, o que pode desencadear em um processo depressivo.


Diversos estudos já relacionaram distúrbios do sono a problemas de saúde, incluindo maiores riscos de depressão, obesidade, diabetes e câncer. Porém, são poucos aqueles que conseguiram explicar de que forma isso acontece — a maioria apenas identificou uma maior prevalência dessas condições em pessoas que dormem mal.

Até bem pouco tempo, sabia-se somente que a Melatonina apresentava alguns efeitos endócrinos e mediava o ritmo circadiano, através da interação com receptores específicos. Recentemente, descobriu-se que a sua ação primaria, independe da interação com receptores, possuindo a Melatonina o efeito de funcionar como um potente varredor do radical hidroxila, a mais poderosa espécie reativa tóxica do oxigênio. A Melatonina também é capaz de estimular a atividade da glutationa peroxidase, cuja função é metabolizar o peróxido de hidrogênio, precursor do radical hidroxila.


Como agente anti-radical livre ela é mais potente que a glutationa e o manitol e a sua presença no núcleo aponta para o seu papel protetor do DNA. O hormônio é um antioxidante bastante potente, comparado com outras substâncias da mesma categoria, como as vitaminas E e C, a melatonina é mais eficaz em prevenir danos celulares provocados por radicais livres


Estudos recentes verificam que o consumo diário de melatonina pelos humanos a partir dos 30 ou 40 anos poderá prevenir – ou pelo menos retardar – doenças relacionadas com o envelhecimento, os radicais livres e os processos inflamatórios.


A Boaformula foi pioneira na venda de Melatonina em Porto Alegre e por isso traz algumas sugestões de formulas para o uso do hormônio:


1. Melatonina 3 mg…. 30caps

1 caps sublingual à noite, com luz apagada.

2 .Melatonina 5mg…. 30 caps

1 caps sublingual à noite, com luz apagada.

3. Melatonina 2,5mg

5HTP 20mg

Vitamina B6 5mg

Tablete qsp 1 unidade

1 tablete sublingual a noite com a luz apagada.

Referências:

Poeggeler B et al: Melatonin, hydroxyl radicals - mediated oxidative damage and aging: a hypothesis J. Pineal Res. 14: 151-168, 1993.

Seraphim, Sumida, Nishide, Lima, Neto e Machado.A Glândula Pineal e o Metabolismo de Carboidratos. Arq Bras Endocrinol Metab vol nº 44. Agosto, 2000.

Reiter RJ, Tan DX, Leon J, Kilic U, Kilic E (2005). When melatonin gets on your nerves: its beneficial actions in experimental models of stroke. Exp Biol Med (Maywood). pp. 104–117.

522 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo