Dica Saudável | Especial de Natal




Dica Saudável - Especial Natal

Contos natalinos e receitas – Para nutrir o corpo e a alma



Hoje na Dica Saudável viemos celebrar juntos a energia do Natal, essa energia que vem florescer a esperança, o amor, a cooperação e a fé em nossos corações. Natal que será diferente esse ano, que nos pede responsabilidade e empatia para celebrar as festas de final de ano. Quando tudo fechou em março deste ano e nos vimos trancados em casa ninguém imaginava que passaríamos também o Natal no meio de uma pandemia. Contamos os dias, contamos os meses, cansamos de prever datas. Contamos momentos de ansiedade, momentos de tristeza e solidão. Contamos também, com muita dor, mortes. Chegamos ao final de 2020, naquela que deveria ser uma das épocas mais felizes do ano, agarrados em finos fios de esperança. Com muitas sequelas de dias que passaram devagar e ao mesmo tempo rápido demais. Cansados das mesmas notícias e das mesmas rotinas, mas também com fé em dias melhores. Aquele fio que ainda resta, independentemente do significado que tem para cada um, é forte, e é quem nos segura de pé.


Para falar do Natal, não existem segredos, basta olhar para dentro de nós mesmos. No Natal, estamos propícios a amar mais, ter mais carinhos, ser mais solidários. É o que nos envolve, este Espírito Natalino. Mas vejamos o mundo num foco mais nítido - isso ocorre somente nesta época do ano. O nascimento de Jesus Cristo tem o poder de causar essa transformação em nós. Percebemos muitas pessoas se enriquecer desse espírito e transparecer ele através de doações, de carinhos e ações voluntarias. Esse Natal atípico nos convida a expandir esse sentimento não apenas para o mês de dezembro, mas ao ano inteiro! Todos os dias de nossas vidas, nós devemos amar uns aos outros, respeitar uns aos outros, sermos solidários. O mundo não funciona somente no Natal, as crianças não necessitam de carinho, apenas no Natal, os necessitados, não passam fome, não sentem frio apenas no Natal.



Nosso convite é que a gente possa se conectar esse ano com essa energia, a partir de todos os aprendizados que enfrentamos, e poder ressignificar isso, trazendo o sentimento de empatia para aflorar em nossas vidas o ano inteiro!

A empatia é, em termos simples, a habilidade de se colocar no lugar do outro, ou seja, tentar entender os sentimentos deste para compreender as suas atitudes, por exemplo. Mas você é capaz de se colocar no lugar do outro? Consegue perceber a importância disso?


“É ser sensível a ponto de compreender emoções e sentimentos de outras pessoas”, explica Rodrigo Scaranari, presidente da Sociedade Brasileira de Inteligência Emocional.

.

A psicologia moderna considera essa capacidade como primordial para uma vida próspera e feliz. E é uma característica que pode, sim, ser aprendida ou, pelo menos, treinada. O exercício passa pelo autoconhecimento: para compreender a emoção do outro, é preciso conhecer e entender o que se passa dentro da própria cabeça. “Assim como podemos treinar os bíceps na academia, e ficar mais fortes, podemos ser cada vez mais empáticos com a prática. A plasticidade do cérebro torna isso possível”, explica a professora Anita Nowak, pesquisadora da empatia e diretora da Área de Iniciativas Sociais e Econômicas da Universidade McGill, em Montreal.


Mas por que nos colocamos no lugar do outro? Para o psicólogo, psicanalista e professor João Ângelo Fantini, da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), a empatia seria “uma forma de restabelecer um contato com um objeto de amor perdido, uma parte incompreendida do sujeito”. Enxergamos no outro uma humanidade compartilhada, sentimentos que também temos e que são aplicados em situações completamente diferentes. Por reconhecermos nós mesmos no próximo, temos empatia.


Tal sentimento é uma via de mão dupla: beneficia também o emissor. “A empatia é, sem dúvida nenhuma, uma das habilidades mais importantes para que se tenha uma boa convivência social, interferindo diretamente tanto no sucesso pessoal como no profissional. Ao entender melhor as emoções e as necessidades de cada um, temos menos dificuldades para lidar com eventuais conflitos pessoais em qualquer ambiente ou situação”, afirma Rodrigo.


A chave da paz


Para a pesquisadora Anita Nowak, da Universidade McGill, é a empatia a chave para a sobrevivência da raça humana. Em tempos tão intolerantes, o exercício de se colocar no lugar do outro evitaria maiores problemas. “Infelizmente, como seres humanos cheios de falhas, nossa tendência é empatizar com pessoas parecidas conosco. Assim, desconhecidos em outras situações inspirariam menos empatia. É algo que deve ser superado se quisermos nos libertar da mentalidade “nós contra eles”, muito presente na sociedade hoje. Esse tipo de pensamento está por trás de cada grande guerra e cada pequena disputa. Se aprendemos a empatizar melhor uns com os outros, poderíamos conseguir a paz”, afirma. Anita conta que é preciso agir — só sentir empatia não é suficiente.


O filósofo e pesquisador australiano Roman Krznaric, fundador do Museu da Empatia e da Biblioteca da Empatia, explica no ensaio O efeito da empatia que, atualmente, as pessoas estão muito focadas em problemas individuais. “A mensagem principal desta pesquisa é que nós precisamos instigar uma mudança cultural do ‘comprar’ para ‘pertencer’ — de valores extrínsecos para intrínsecos —, de modo que a identidade e o bem-estar sejam baseados mais na qualidade dos relacionamentos e no senso de pertencimento a uma comunidade do que no tamanho da nossa conta bancária ou nas ofertas de um lifestyle de luxo”, afirma Roman. Segundo o filósofo, é preciso fazer uma “revolução da empatia”.


Pensando nisso, trouxemos uma oração para ler esse Natal e levar às nossas vidas ao longo do ano inteiro, exercitando a empatia e aflorando o amor e esperança.


“Que neste Natal, eu possa lembrar dos que vivem em guerra, e fazer por eles uma prece de paz. Que eu possa lembrar dos que odeiam, e fazer por eles uma prece de amor. Que eu possa perdoar a todos que me magoaram, e fazer por eles uma prece de perdão. Que eu lembre dos desesperados, e faça por eles uma prece de esperança. Que eu esqueça as tristezas do ano que termina, e faça uma prece de alegria. Que eu possa acreditar que o mundo ainda pode ser melhor, e faça por ele uma prece de fé. Obrigada Senhor Por ter alimento, quando tantos passam o ano com fome. Por ter saúde, quando tantos sofrem neste momento. Por ter um lar, quando tantos dormem nas ruas. Por ser feliz, quando tantos choram na solidão. Por ter amor, quantos tantos vivem no ódio. Pela minha paz, quando tantos vivem o horror da guerra.”

Autor Desconhecido



Todos necessitamos esperança e fé de que tudo isso vai passar… as nossas crianças necessitam dessa esperança… e devem saber que elas também podem ajudar de alguma forma. Por isso deixo para nutrir o coração um belo conto de Natal para a gente desfrutar.



CONTO: ESPERANÇA DE NATAL


Era uma vez um vilarejo que se escondia entre as montanhas Daqui e De Lá, um lugar especial e alegre, onde a magia habitava no coração de cada morador. E sabe por que a magia do coração era tão especial? Porque sempre que acontecia algo triste, a magia do coração fazia brotar uma ideia mirabolante que ajudava a solucionar o problema e restaurar a situação.


Ah! Mas voltemos para a nossa história. Era dezembro e fazia muiiiito frio, porém as ruas estavam repletas de pessoas caminhando, sorrindo… o vilarejo estava alvoroçado. Sabe por que?


Porque estava chegando o Natal, a festa mais importante do ano. Na noite de Natal todo o vilarejo se reunia na praça da cidade, onde todas as famílias compartilhavam um jantar delicioso, brincadeiras, trocas de presente e abraços quentinhos e cheios de carinho. Ahhh, e não podiam faltar as historias… isso mesmo! O festival de contos natalinos se realizava a cada ano depois da ceia… os contadores de historias compartilham contos inéditos e antigos… e todos se sentavam para escutar.


Umas semanas antes da grande ceia de Natal, algo estranho aconteceu. Muitos moradores começaram a ficar doentes… cada vez que alguém chegava perto para ajudar… acabava adoecendo também… até alguns médicos e enfermeiros do vilarejo ficaram bem doentes. Tudo mudou de repente… desapareceu o sorriso, a alegria foi embora e as ruas ficaram vazias. Foi então que a preocupação, a incerteza e o medo aproveitaram para entrar no vilarejo, cobrindo tudo com uma névoa cinzenta.


Havia desaparecido a magia do coração, ao menos era isso o que todo mundo dizia…

Agora escutem bem! Porque vou contar um segredo. O que eles não sabiam é que magia era mais forte no coração das crianças… isso mesmo! De crianças como vocês.


E foi assim, que quando os adultos haviam pensado que o Natal havia terminado… a magia começou a fervilhar no coração das crianças, e quer saber o que aconteceu?


Umas crianças brincavam na rua e começaram a observar como os adultos caminham tristes… sem ânimo e paffff… de repente a magia do coração das crianças começou a movimentar-se, fazendo nascer uma incrível ideia. As crianças se entreolharam, sabendo o que tinham que fazer… saíram correndo e voltam rapidamente, cada uma trazendo coisas numa bolsa. Foi então que começou um fuzuê, elas desenhavam, cortavam, riam, colavam… e depois começaram a enfeitar os pinheirinhos que estavam na rua do vilarejo. Encheram os pinheirinhos de corações coloridos e uma estrela bonita e brilhante na ponta. Toda a cidade ficou colorida e as pessoas curiosas com aquilo. Pela primeira vez em tantas semanas, elas já não pensavam na tristeza e na dor… porque a magia havia transbordado do coração das crianças, trazendo cor e alegria ao vilarejo.


Ah!!! Mas não termina por aí! Muita gente estava doente, sozinha e triste nas suas casas, e não podiam sair… então a magia começou a borbulhar outra vez no coração das crianças, e elas sentiram uma vontade louca de cantar… criaram canções e foram cantando de casa em casa. Elas não podiam entrar para abraçar os seus vizinhos, mas a música sim! Podia atravessar os vidros da janela, entrar pelas gretas da porta e fazer companhia para aqueles que estavam sozinhos.


Todo vilarejo se encheu de música e até quem estava doente voltou a sorrir. Aquele foi um Natal tão diferente! Não houve ceia de natal no centro do vilarejo… não houve festival de contação de histórias… mas pela primeira vez os pinheirinhos, cheios de pequenas velinhas, iluminaram a noite do vilarejo e durante o dia tudo estava muito colorido. Não houve trocas de abraços, mas a música das crianças tocou o coração de cada vizinho e fez companhia para cada pessoa que se sentia sozinha.


O que aconteceu com o vírus? Ah O vírus acabou passando… desaparecendo… o que não desapareceu foi a magia… porque ela transbordou do coração das crianças, enchendo também o coração dos adultos, e fazendo nascer uma ENOOOORRRME Esperança de Natal. Porque eles aprenderam que sempre quando vem a escuridão, devemos buscar uma pequena luz no fundo no nosso coração.

AUTORIA: Claudine Bernardes



Nessa Dica Saudável especial Natal nosso propósito é que esse texto venha promover nutrição aos leitores. Nutrição que vai além do alimento, que pode ser uma história, uma oração ou uma respiração consciente. Nutrição que pode ser amor, que vem de dentro e transborda. Que nesse Natal você possa sentir nossa intenção de propagar amor, empatia e esperança.



Importância de nutrir o corpo e a alma


QUICHE COM MASSA DE GRÃO DE BICO E RECHEIO

DE SEMENTE DE GIRASSOL E COGUMELOS



Atenção: Esta receita requer 12 horas de molho, porém você pode optar por deixas os grãos de molho em água quente por 2h e cozinhar o grão de bico.


Massa

· 250g de grão-de-bico

· 500ml de água

· sal do Himalaia a gosto

· 1 colher de sopa de cúrcuma*

· Pimenta do reino a gosto

· 150g de farinha de arroz

· 50g de farinha de psyllium*



Recheio


· 300g de semente de girassol

· 100g de tofu orgânico

· 2 colheres de sopa de nutricional yeast*

· ½ bandeja de cogumelo shitake

· ½ de cebola rocha

· Alho a gosto

· 1 limão

· Folha e flor de capuchinha

· 30g de semente de abobora*

· Óleo de abacate


* Você encontra esses produtos na Boaformula!


>> Modo de Preparo da Massa


1 - Deixe o grão-de-bico de molho por 12 horas.

2- Após esse tempo, se desejar, retire toda a pele do grão-de-bico.

3 - No processador, coloque o grão-de-bico, a farinha de arroz e a farinha de psyllium. Misture até obter uma massa homogênea. Adicione sal a gosto, cúrcuma e pimenta.



>> Modo de Preparo do Recheio


1- Deixe as sementes de girassol de molho por 12 horas na água fria. Depois desse tempo, bata-as no liquidificador junto com a água quente até obter um creme e reserve. Tempere com o nutricional yeast, limão e sal a gosto.

2- Numa panela, coloque o alho amassado, a cebola e o óleo de abacate. Quando a cebola ficar transparente, adicione o cogumelo shitake,semente de abóbora e tofu em pedaços. Quando ficar dourado, adicione o creme de semente de girassol.

3 – Lave bem as folhas e flores de capuchinha e adicione junto ao quiche e misture bem

4- Forre uma fôrma de fundo removível de 20 cm com a massa. Adicione o creme de semente de girassol com os legumes, folhas e flores. . Leve ao forno preaquecido a 180 ºC por 30 minutos ou até dourar.


Desfrute desse delicioso quiche feito com ingredientes funcionais e PANC’S para nutrir nosso corpo e alma.


Vamos conhecer mais os ingredientes que compõem essa receita?



Grão de bico

Grão de bico é uma leguminosa, parente do feijão e da ervilha.É uma planta herbácea da família das fabáceas, de ciclo anual, com folhas verde-amareladas, flores brancas e que alcança até 60 cm de altura.

As primeiras espécies selvagens de grão de bico estão integradas na alimentação humana desde a Idade do Bronze. Esta planta se originou no Oriente Médio e depois foi se espalhando, sendo um alimento muito conhecido entre diversas culturas.

Na produção mundial de leguminosas, o grão-de-bico está em terceiro lugar, depois da soja e do feijão. As variedades antigas desta leguminosa tem a cor escura, quase preta, muito diferente das que conhecemos hoje, de cor clara.


Benefícios nutricionais que ele nos proporciona:

Grão-de-bico é uma boa fonte de proteína vegetal, rica em minerais - cálcio, ferro, fósforo, potássio, molibdênio, cobre - em triptofano e vitaminas (A, B e C) para além de ser riquíssimo em fibras vegetais. Dentre as vitaminas do grupo B, é preciso ressaltar a riqueza em folatos, ácido fólico, a B9, especialmente necessária para a saúde da mulher e a fertilidade.

Propriedades curativas do grão-de-bico:

A riqueza em fibras vegetais solúveis e não solúveis do grão-de-bico é essencial para a retirada das gorduras excedentes na alimentação, o aumento do bolo fecal, a redução dos resíduos alimentares e a limpeza das paredes intestinais.

Sua riqueza em molibdênio faz do grão-de-bico um excelente desintoxicante do organismo, especialmente para os excessos de sulfitos comumente usados como conservantes na indústria alimentar.

Grão-de-bico tem triptofano, aminoácido essencial fundamental para a preservação de bons níveis de serotonina e melatonina, das quais o triptofano é precursor. Assim, o consumo rotineiro de grão-de-bico ajuda no combate à depressão e problemas de sono, especialmente nos que se referem à dificuldade em adormecer.

A riqueza do grão-de-bico em magnésio, que o torna uma das boas fontes deste mineral essencial à saúde como um todo, auxilia o organismo de quem o consome na produção de enzimas importantes para a produção de energia e melhora a ação do nosso sistema imunológico. Especificamente, uma dieta rica em magnésio é fundamental para a saúde cardiovascular.


Veja mais aqui.



Psyllium


O Psyllium fibras, também conhecido como Psyllium husk, é uma fonte de fibra natural, feita a partir das cascas de sementes da planta chamada Plantago ovata. Composta na maior parte por fibras solúveis, que tem capacidade de se ligar à água e formar géis, importantes para o metabolismo intestinal.