Dica Saudável | Kibe vegano | Especial Outubro Rosa & Dia Mundial da Alimentação



Especial Outubro Rosa & Dia Mundial da Alimentação: Kibe Vegano e sem glúten com semente de girassol germinada

Estamos no Outubro Rosa, movimento internacional criado no inicio da década de 1990 na primeira Corrida pela Cura pela Fundação Susan G. Komen for the Cure. Desde então muitos países e instituições participam da mobilização. O nome da campanha remete à cor do laço rosa que simboliza, mundialmente, a luta contra o câncer de mama e estimula a participação da população, empresas e entidades.

A data é celebrada anualmente e é muito importante para dar visibilidade ao câncer de mama, a quinta causa de morte por câncer em geral e a causa mais frequente de morte por câncer em mulheres. Essa data tem como objetivo compartilhar informações, promover a conscientização sobre a doença, proporcionar maior acesso aos serviços de diagnóstico e de tratamento e de contribuir para redução da mortalidade.


Mês que nos convida a cultivar autocuidado, observando mais nosso corpo e seus sinais para saber identificar quando ele apresenta algum desequilíbrio, buscando hábitos mais saudáveis que possam também servir de medidas preventivas. Pensando nisso preparamos um conjunto de informações essenciais para entendermos um pouco mais sobre o câncer de mama, autoexame e mamografia, e uma receita que visa incentivar uma alimentação mais saudável e equilibrada com muito sabor! Hoje teremos um kibe delicioso vegano e sem glúten, com semente de girassol germinada, farinha de grão de bico, psyllium, farinha de banana verde e temperos verdes! Uma delicia não é mesmo? Receita especial ao dia de hoje, dia 16 de outubro Dia Mundial da Alimentação, um dos eventos mais comemorados no calendário da Organização das Nações Unidas (ONU), pois promove a conscientização e ação mundial para indivíduos que passam fome e a necessidade de garantir alimentação saudável para todos. Mas afinal, o que o Outubro Rosa tem a ver com o Dia mundial da Alimentação? Calma, fica com a gente que explicaremos para você!


O que é câncer de mama?


Também conhecido como neoplasia, o câncer de mama é caracterizado pelo crescimento de células cancerígenas na mama. Segundo dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA), é o segundo tumor mais comum entre as mulheres, atrás apenas para o câncer de pele, e o primeiro em letalidade.


Apesar dos dados alarmantes, sua ocorrência é relativamente rara antes dos 35 anos e nem todo tumor é maligno – a maioria dos nódulos detectados na mama é benigna. Além disso, quando diagnosticado e tratado na fase inicial da doença, as chances de cura do câncer de mama chegam a até 95%.


No entanto, na fase inicial da doença o tumor pode ser muito pequeno, podendo ter menos de um centímetro de tamanho, nesse caso, a doença só será detectada por um exame de imagem, como a mamografia. Por isso, é importante que a mulher vá ao ginecologista ao menos uma vez por ano e faça seus exames de rotina periodicamente.

Apesar de não ter uma prevenção comprovadamente eficaz, há muitas formas de diminuir o risco de desenvolvimento do câncer de mama! E essas atitudes são especialmente importantes para mulheres com certos precedentes, como histórico familiar forte ou alterações genéticas. Temos diversas iniciativas que trazem a importância do auto exame de mamas e mamografia, duas formas de prevenção secundárias da doença. Importante também trazermos métodos de prevenção primária que atuem nos fatores de risco: uma alimentação saudável e equilibrada, livre de contaminantes e agrotóxicos, uso de cosméticos livre de substâncias tóxicas a nossa saúde, pratica regular de atividades físicas e a garantia de direitos sociais para que se possa ter saúde mental.



Como fazer o autoexame de mama?


O autoexame de mama é indicado para todas as mulheres a partir dos 20 anos. Como as mamas podem ficar inchadas antes e durante o período menstrual, a recomendação é fazer o exame 7 dias depois do início do sangramento. No caso das mulheres que estão na menopausa, o ideal é escolher uma data fixa todos os meses.


Um autoexame completo é realizado em três etapas: a observação em frente ao espelho, a apalpação durante o banho e a apalpação deitada. Saiba como fazer cada uma delas:


1. Observação em frente ao espelho

  • Tire a blusa e o sutiã e fique em frente ao espelho com as mãos na cintura;

  • Verifique o tamanho, o formato e o contorno das mamas;

  • Observe se há alterações na pele da mama, na aréola ou no mamilo;

  • Verifique se o sutiã deixa marcas em apenas uma das mamas, indicando inchaço;

  • Deixe os braços soltos ao lado do corpo e observe as mamas novamente;

  • Erga os braços e observe se há alterações.

2. Apalpação em pé no chuveiro

  • Com a coluna ereta, coloque a mão esquerda atrás da nuca, com o cotovelo apontado para cima;

  • Deslize a mão direita pela mama esquerda, apalpando-a com a ponta dos dedos;

  • Faça movimentos circulares com firmeza, mas sem causar desconforto ou dores, iniciando na axila e seguindo em direção ao mamilo;

  • Durante a apalpação, verifique se há regiões mais densas ou caroços;

  • Faça os mesmos movimentos circulares na região das axilas, observando se há algum nódulo palpável;

  • Pressione delicadamente o mamilo para verificar se há saída de líquido de origem desconhecida;

  • Troque a posição dos braços, colocando a mão direita na nuca, e repita o passo a passo desta etapa.

3. Apalpação deitada

  • Deite-se na cama, coloque um travesseiro fino embaixo do ombro esquerdo e leve a mão esquerda para trás da cabeça;

  • Com a outra mão, apalpe a mama esquerda e faça movimentos circulares com a ponta dos dedos, verificando a presença de anormalidades;

  • Coloque o travesseiro embaixo do ombro direito e repita os passos com a outra mama.

Esses passos são necessários porque a mama se movimenta junto com o corpo, de forma que uma anormalidade pode passar despercebida em determinada posição. Além disso, durante o banho, com a pele ensaboada, as mãos deslizam mais facilmente, aumentando as chances de detectar qualquer anormalidade.




10 sinais para observar durante o autoexame de mama


Em geral, o câncer de mama é detectado pela presença de um nódulo rígido e irregular, normalmente indolor – embora isso não seja uma regra e a mulher possa sentir dores na região em alguns casos.


Outras alterações indicativas de um tumor são a presença de um caroço na axila, inchaço na mama, irritação da pele e secreção de líquido pelo mamilo. Veja 10 sinais aos quais você deve estar atenta durante o autoexame:

  1. Mama inchada, com tamanho ou formato alterado;

  2. Mamilo secretando líquido sem que você esteja amamentando;

  3. Irritação ao redor do mamilo com vermelhidão, coceira ou ardência;

  4. Pequenas feridas ou lesões na mama;

  5. Região da mama “afundada” ou retraída, com prejuízo ao contorno;

  6. Caroço perceptível ao toque na mama ou na axila;

  7. Veia dilatada ou aumentando de tamanho na mama;

  8. Textura da pele alterada com surgimento de rugas ou aparência de celulite;

  9. Mamilo que mudou de posição ou virado para dentro (inversão);

  10. Dores nas mamas ou nas axilas.

Além desses sinais, você deve levar em consideração qualquer alteração que surja entre uma mama e outra ou entre um exame e outro. É importante conhecer seu corpo para poder detectar qualquer tipo de mudança.

*Fonte: INCA



Alimentação Saudável como medida preventiva primária


“Você sabia que, segundo dados do Instituto Nacional de Câncer, a alimentação e a nutrição inadequadas são a segunda causa de câncer que pode ser prevenida? São responsáveis por até 20% dos casos de câncer nos países em desenvolvimento, como o Brasil, e por aproximadamente 35% das mortes pela doença.

Por isso, uma alimentação rica em frutas, legumes, verduras, cereais integrais, feijões e outras leguminosas, e pobre em alimentos ultraprocessados, como aqueles prontos para consumo ou prontos para aquecer e bebidas açucaradas, podem prevenir de 3 a 4 milhões de casos novos de câncer a cada ano no mundo.

Informações como essas podem ajudar na prevenção da doença e a campanha outubro rosa é mais um instrumento para despertar a consciência na sociedade e nas mulheres sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama.

A Associação Brasileira de Nutrição também apoia e adere à campanha, sobretudo porque é fato que se a população adotasse uma alimentação saudável e a prática regular de atividade física, mantendo o peso corporal adequado, aproximadamente um em cada três casos dos tipos de câncer mais comuns poderiam ser evitados.

A alimentação e nutrição são fundamentais também no período de tratamento e após. Cuidar da alimentação, praticar atividade física e buscar manter o peso adequado é essencial para recuperar a saúde, prevenir o retorno da doença e o desenvolvimento de outro tipo de câncer. Estas informações são baseadas nos relatórios do Fundo Mundial para Pesquisa contra o Câncer (WCRF) e do Instituto Americano de Pesquisa em Câncer (AICR), entre outras pesquisas.

O que é preciso esclarecer:

Há muita desinformação sobre a relação entre a alimentação e o câncer, que merece ser esclarecida sob a luz da Ciência. Mais do que isso: informação confiável deve ser compartilhada.

  • Não é verdade, por exemplo, que a cura do câncer pode ser obtida por meio do consumo de um alimento específico. O correto é afirmar que existem evidências claras que uma alimentação saudável auxilia na prevenção e no tratamento do câncer. A recomendação é consumir, no mínimo, cinco porções, ou seja, 400g por dia de vegetais, sendo duas porções de frutas e três porções de legumes sem amido (como cenoura, couve-flor, berinjela, tomate) e verduras. O adequado é consumir alimentos de diferentes cores, como vermelha, verde, amarela, branca, roxa e laranja.

  • É verdade que grande parte dos refrigerantes possui um corante que pode favorecer a formação do câncer. Os refrigerantes contêm a substância 4-MI (4-metil-imidazol), classificada como possivelmente cancerígena pela Agência Internacional para Pesquisa em Câncer (IARC), da Organização Mundial da Saúde (OMS). Esse composto é um subproduto do corante caramelo IV presente nessas bebidas. O Centro de Pesquisa CSPI (na sigla em inglês Center for Science in the Public Interest), em Washington D.C, em parceria com instituições governamentais e de pesquisa de diversos países, testaram a quantidade de 4-MI em latas de uma marca de refrigerante a base de cola (na versão original) vendidas no Brasil, Canadá, China, Emirados Árabes Unidos, Estados Unidos da América (Washington D.C. e Califórnia), México e Reino Unido. De acordo com o estudo, a bebida comercializada no Brasil continha 267 microgramas (mcg) de 4-MI em uma lata de 355 ml. Essa concentração foi a maior identificada dentre todos os países pesquisados.

  • É verdade também que a prática de aquecer alimentos ou adicioná-los quentes a recipientes plásticos aumenta o risco de câncer. O aquecimento pode liberar substâncias nocivas com potencial de causar câncer, como a dioxina, o bisfenol A (BPA) e os ftalatos. Os especialistas recomendam não aquecer alimentos em recipientes plásticos, inclusive mamadeiras, porque não há como ter segurança quanto à presença ou não dessas substâncias nos recipientes utilizados. O melhor é transferir a comida para vasilhas de vidro temperado ou de porcelana que suportem o calor. Essa cautela se aplica também para as bandejas de espuma em que são acondicionadas lasanhas e outras massas, por exemplo. O filme plástico utilizado para proteger e cobrir alimentos também deve ser evitado, pois o vapor condensado pode respingar substâncias perigosas no alimento. É mais seguro usar papel toalha, pano de prato ou saco de papel. Tais cuidados são simples e podem evitar danos à saúde."

*Referência: Asbran. Estas informações são baseadas nos relatórios do Fundo Mundial para Pesquisa contra o Câncer (WCRF) e do Instituto Americano de Pesquisa em Câncer (AICR), entre outras pesquisas.

Tipos de Câncer de Mama Inicial


O câncer de mama pode se manifestar de diversas formas. Conhecer seus principais tipos ajuda a compreender melhor o que está acontecendo.


Os Tipos Mais Comuns

  • Carcinoma ductal: é o tipo mais comum de câncer de mama, esse tumor se forma no revestimento de um dos ductos mamários, que carregam o leite materno dos lóbulos até o mamilo. Há dois tipos de carcinoma ductal: o carcinoma in situ, que permanece dentro dos ductos como um tumor não invasivo, e o carcinoma ductal invasivo, que pode espalhar-se para outras partes. Ambos os tipos têm a capacidade de desenvolver metástase, se não forem tratados corretamente;

  • Carcinoma lobular: é o segundo tipo mais comum de câncer de mama. Também apresenta dois tipos de tumores: o carcinoma lobular invasivo, desenvolvido nos lóbulos mamários, e o carcinoma lobular in situ, tradicionalmente é considerado um marcador de risco para desenvolvimento do câncer de mama, podendo ser um precursor não obrigatório do carcinoma invasivo.

  • Tecidos conjuntivos: apesar de raro, em alguns casos o câncer de mama pode começar no tecido conjuntivo, que é composto de músculos, gordura e vasos sanguíneos. Esse tipo pode também ser conhecido como sarcoma, tumor ou angiossarcoma.


Os Tipos Menos Comuns

  • Câncer de mama inflamatório: é um tipo raro de tumor diagnosticado na mama. Apresenta diferentes sintomas, prognósticos e tratamento distinto, pois, na maioria dos casos, seu diagnóstico é realizado de forma tardia;

  • Doença de Paget: desenvolvido nos ductos mamários, esse tipo de câncer pode se disseminar para a pele do mamilo e região da aréola. Sua incidência é rara.

  • Tumor filoide: extremamente raro, esse tipo é caracterizado pelo surgimento de nódulos duros de tecido em qualquer parte da mama;

  • Angiossarcoma: é uma complicação rara do tratamento radioterápico, que raramente ocorre na mama – o desenvolvimento acontece nas células que revestem os vasos sanguíneos ou linfáticos;

  • Câncer de mama no homem: mesmo com incidência baixíssima, o desenvolvimento do câncer de mama em homens também é possível.


Existem tipos ainda mais raros de câncer de mama, como o carcinoma medular, mucinoso e tubular e o tumor filoide maligno. Assim como, cada tipo de tumor possui particularidades e diferenças, o tratamento também não é universal – por isso, o médico especialista poderá recomendar a realização de diversos exames para entender cada caso e discutir com a paciente a melhor abordagem e tratamento da doença.

O câncer de mama pode se manifestar de diferentes formas. Por isso, conhecer os principais tipos ajuda a identificar seus sinais mais rapidamente e procurar ajuda médica, além de auxiliar na compreensão das opções de tratamento disponíveis.

Referências

Neste ano, com a pandemia de COVID-19, se tornou ainda mais clara a dificuldade de acesso a alimentos em algumas comunidades, seja no Brasil como também ao redor de todo o mundo. Cada dia se torna mais evidente que alimentos minimamente processados como frutas, verduras e legumes promovem saúde e evitam o aparecimento de doenças. Afinal, nós somos o que comemos e a natureza nos oferece toda medicina que precisamos em forma de alimento. Na campanha deste ano da FAO sobre o Dia Mundial da Alimentação, a instituição exalta os heróis da alimentação, os quais são todos aqueles que, não importam as circunstâncias, continuam a prover alimentos para sua comunidade. É importante lembrar que por trás da nossa comida, sempre há aquele que produziu, plantou, colheu, pescou e transportou o alimento para que ele chegasse a nossas mesas, ajudando a fazer crescer, nutrir, e sustentar nosso planeta.


Nós como consumidores finais também podemos fazer parte dessa cadeia de impactos positivos na alimentação, ajudando a manter o equilíbrio entre a produção sustentável e o consumo consciente. Como podemos fazer isso? A seguir, colocamos as orientações que a própria FAO sustenta em sua campanha:


1. Escolha alimentos saudáveis, regionais e da época;

2. Aprenda como os alimentos crescem em sua casa. Um convite para a gente plantar em todos os espaços, mesmo em apartamentos pequenos há a possibilidade de produção de alimento;

3. Respeite os alimentos e o meio-ambiente desperdiçando menos;

4. Pratique uma boa higiene dos alimentos.


Essas orientações servem não só no dia 16 de outubro, mas como em todos os outros dias do ano, e fazem a gente lembrar da importância de ter respeito pelos alimentos e por toda a cadeia por trás da nossa alimentação. Valorizar a comida de verdade é uma forma de também respeitar todos os pequenos agricultores e produtores de alimentos, exaltando as culinárias e tradições regionais.


Depois de toda essa conversa em prol de um alimento de qualidade e saudável, que tal finalizar com uma deliciosa receita para preparar no final de semana? Uma opção de acompanhamento, lanche da tarde ou até aperitivo!

Kibe Vegano Semente de Girassol


Receita:


· 2 xícaras de semente de girassol germinada

· 1 colher de sopa de psyllium*

· 1 colher de sopa de água

· 1 colher de sopa de óleo de cártamo*

· ½ xícara de farinha de grão de bico*

· ½ xícara de farinha de banana verde

· 1 colher de sopa de levedura nutricional*

· 1 colher de chá de páprica defumada

· 1 colher de chá de coentro em pó

· 1 colher de chá de açafrão da terra

· Sal a gosto


Modo de preparo:

Germine a semente de girassol por 24h, trocando a água a cada 12h horas. Escorra essa água, lave bem as sementes e bata no liquidificador com 4 xicaras de água. Aqui você iniciará o processo como se fosse fazer um leite da semente de girassol, mas baterá bem pouco para ficar com pedaços ainda grandes e trazer a textura que desejamos para o kibe. Coe com ajuda de um voal e separe o leite do resíduo. Além de um kibe delicioso, você também terá um leite vegetal que pode ser adicionado a uma pitada de sal e açúcar para ajudar a conservar por mais tempo e levar à geladeira.


O resíduo utilizaremos como base de nosso kibe. Nele você acrescentará as farinhas e os temperos, óleo e a água. Você pode estar utilizando o próprio leite de semente de girassol (sem sal e açúcar) como meio fluido na receita. Misture bem até formar uma massa densa e homogênea. Molde com a ajuda das mãos o formato de kibe, você fará como se fosse uma conchinha com as mãos, pressionando levemente a massa. Pode deixar um pote com água ao lado para impedir que ela grude muito nas mãos.


Para cozinhar ele temos diferentes opções: podemos utilizar a Airfryer por 20 minutos a 180 graus, no forno por 15 minutos a 200 graus ou na frigideira até dourar. O tempo pode variar dependendo do tipo de forno ou aparelho eletrodoméstico que você possua em casa, então indicamos que fique cuidando até ficar mais douradinho por fora! Essa receita você pode estar fazendo a mais e congelando também para sempre ter um lanchinho saudável em casa.

Para finalizar um limão combina muito bem com o Kibe. Ótima proposta para o final de semana: alongar e movimentar o corpo e depois esse kibe de lanche. Merecemos esse carinho, não é mesmo? Aproveita e na hora do banho realiza o auto exame, na frente do espelho e deitada também! Cuida e observe seu corpo. Confie nele e entenda suas mensagens que nos avisam quando algo está em desequilíbrio.


Bom proveito!



A sua saúde em boas mãos.

Fale Conosco

 

WhatsApp:  (51) 99702.5060

                  

                   

Fones:        (51) 3095.2001

                   (51) 3311.7898

                   (51) 3311.1144

 

Horário de Funcionamento

Segunda à Sexta

8:30 às 18:00

Sábado

9:00 às 13:00

Redes Sociais

  • Preto Ícone Instagram
  • Preto Ícone Blogger

Orçamentos por e-mail

envie a sua fórmula aqui:

 

 

Contato com Equipe de Vendas

boaformula@boaformula.com.br

 

Sugestões, Reclamações e Dúvidas

sac@boaformula.com.br

Venha Trabalhar Conosco!

trabalheconosco@boaformula.com.br

Endereço

Boaformula Farmácia de Manipulação

Av. Independência, 1163

Bairro Independência

Porto Alegre - RS - Brasil

CEP 90035-077

Advertência:
• Nunca compre medicamento sem orientação de um profissional habilitado.
• Imagens ilustrativas.
• Pessoas com hipersensibilidade à(às) substância(s) não devem ingerir o produto.
• Em caso de hipersensibilidade ao produto, recomenda-se descontinuar o uso e consultar o médico.
• Não use o medicamento com o prazo de validade vencido.
• Manter em temperatura ambiente (15 a 30ºC). Proteger da   luz, do calor e da umidade. Nestas condições, o medicamento se manterá próprio para o consumo, respeitando o prazo de validade indicado na embalagem.
• Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.
• Este medicamento não deve ser utilizado por gestantes e lactantes. 
• Este medicamento não deve ser utilizado por menores de 18 anos sem orientação médica.
• Os resultados dependem da correta utilização do produto, conforme descrito na posologia.
• Se persistirem os sintomas, o médico deverá ser consultado.

Venda mediante prescrição do profissional habilitado
As informações acima são de caráter informativo sem intenção de induzir a automedicação, não se trata de propaganda e sim descrição do produto, consulte sempre um profissional habilitado. 
O estabelecimento farmacêutico deve assegurar ao usuário informação e orientação quanto ao uso dos medicamentos solicitados por acesso remoto. RDC 44 de 17 de agosto de 2009, Artigo 58.

Boaformula

Farmácia de Manipulação e Suplementos Nutricionais

A sua saúde em boas mãos.

Porto Alegre | RS

CNPJ 94.629.169/0002-30