Dica Saudável | As belezas dos óleos essenciais em sinergia.




Você já se perguntou como misturar óleos essenciais obtendo uma sinergia harmônica? Sinergias são combinações de óleos que juntos devem promover um efeito específico sobre o organismo, como relaxamento, energia, etc. Hoje gostaríamos de compartilhar os conceitos básicos de mistura de óleos essenciais para que você possa ir correndo criar sua própria sinergia!


Todo o poder da natureza em pequenos potinhos. Para compreender esta ferramenta, sua funcionalidade e atuação, precisamos saber o que é, de onde vem e quais são suas indicações em cada setor qual é utilizado.



Óleos essências e os chakras


Os óleos essenciais têm ação sobre os centros energéticos ou chakras do corpo humano. Chakras são centros de energia eletromagnética presentes em nosso corpo. Apalavra chakra vêm do sânscrito, antiga língua da Índia, e significa roda. Os chakras são formados a partir do contínuo fluxo de energia elétrica que flui pelos plexos nervosos e que estimula as fibras de colágeno (fáscia) nestas áreas a gerar campos eletromagnéticos.


As fibras de colágeno são compostas por cristais líquidos de proteínas com propriedades piezelétricas que respondem à eletricidade gerando eletromagnetismo. São de extrema importância para nossa saúde, pois estes campos eletromagnéticos influenciam positivamente no funcionamento de órgãos, glândulas e tecidos em sua proximidade, mantendo a nossa saúde. Quando saudáveis, estes campos pulsam frequências harmônicas. Quando em desequilíbrio, tendem a ocasionar mau funcionamento dos órgãos em sua proximidade e ocasionam doenças. Os chakras podem ser harmonizados e desbloqueados pelo uso de terapias energéticas como o reiki, acupuntura, radiestesia, cristais, massagem, musicaterapia, cromaterapia e aromaterapia.



Óleos essências e sua influencias olfativa


Os OE induzem ao desenvolvimento da capacidade olfativa, há tanto tempo obscurecida pela infinidade de cheiros sintéticos que inundam os ambientes modernos. Para os antigos alquimistas e Mestres curandeiros, os óleos essenciais das plantas sintetizavam a chamada quintessência (princípio ativo e energético da planta).


Um dos cinco sentidos, o nosso poder de cheirar é, em si só, extremamente potente, com efeitos curiosos. Por exemplo, um certo aroma pode despertar memórias de infância bem guardadas ou o cheiro de determinado alimento pode abrir o apetite a uns ou provocar náuseas a outros. Quando inalamos óleos essenciais, as nossas células olfativas são estimuladas e esse impulso é encaminhado para o sistema límbico – o centro emocional do cérebro – ligado à memória, à respiração, à circulação sanguínea e os hormônios. Na aromaterapia, as propriedades, a fragrância e os efeitos dos óleos essenciais estimulam estes diferentes sistemas. Da mesma forma que a ligação estreita entre o olfato e o cérebro desencadeia um efeito indireto no sistema imunitário, que potencia a capacidade do corpo se sarar a si próprio. Enquanto medicina holística, a aromaterapia é uma forma de auto-cura porque incentiva o equilíbrio interno do organismo, mas também se manifesta ao nível físico uma vez que os óleos essenciais são conhecidos pelas suas poderosas ações revigorantes, anti-oxidantes, anti-bacterianas, anti-virais, anti-fungos, anti-inflamatórias e ansiolíticas.


Etimologicamente, a palavra “aromaterapia” é composta de aroma, significando fragrância, e terapia, que quer dizer tratamento.


A Aromaterapia é o ramo da Fitoterapia que, através da aplicação de óleos essenciais extraídos das plantas, pretende promover a saúde e o bem-estar ao ser humano. A ciência e a arte da Aromaterapia têm seus alicerces no princípio de que diferentes aromas acionam respostas específicas no cérebro, conduzindo a resultados próprios.


Os óleos essenciais são formas altamente concentradas de energia das plantas e, costuma-se dizer, constituem a sua alma, a sua força vital.



Óleo essencial e óleo vegetal


Uma grande dúvida é a diferença entre o óleo essencial e o vegetal, sendo que ambos são extraído de plantas (caules, sementes, frutos, flores, cascas e folhas).


A grande diferença entre um e outro é a forma com a qual é extraído. Os óleos essenciais são compostos voláteis e aromáticos, no processo de sua extração são utilizadas técnicas específicas de coleta, como por exemplo a destilação à vapor e pressurização. Eles também evaporam,são insolúveis em água, mas solúveis em solventes orgânicos como o álcool. Embora sejam insolúveis em água, conseguem conferir odor à mesma, constituindo os hidrolatos e tornando-se uma fonte importante de aromatizantes.


Já os óleos vegetais são extraídos a partir da pressurização à frio, não podem ser diluídos e não evaporam. Seu aroma é suave e é rapidamente absorvido pela pele, atuando na sua nutrição e hidratação.


A partir da extração dos aromas presentes em plantas, flores, madeiras, raízes e afins, os óleos essenciaias nos trazem diversos benefícios e propriedades de tratamento e cura para desconfortos físicos, mentais e espirituais.


** Os óleos essenciais, quando não aplicados 100% puros, podem ser diluídos em óleos vegetais, como os de semente de uva, amêndoas ou girassol ou mesmo em cremes ou géis de base neutra (evite composições com parafinas e derivados de petróleo). Deste modo, os óleos essenciais se tornam mais fáceis de serem utilizados em massagens, banhos ou loções corporais.



O que é sinergia?


Trata-se da mistura harmônica de mais de um óleo. Com a sinergia, obtém-se um novo aroma. Há diversos óleos essenciais e com inúmeras possibilidades de combinações. Além disso, a interação potencializa os princípios ativos e permite um tratamento mais preciso e adequado.


Para isso, é necessário conhecer as propriedades individuais de cada óleo e também seu aroma. Dependendo do perfume, o resultado aromático pode desagradável, apesar de eficaz. Nesses casos, evita-se a combinação, pois a terapia deve ser prazerosa e um cheiro ruim prejudica a experiência, não é mesmo?


Sobre as propriedades, é fundamental que sejam complementares, jamais opostas. Não faz sentido misturar um óleo relaxante com um energizante, por exemplo. Há algumas regras que precisam ser seguidas. A principal é que se devem usar, no máximo, 4 tipos diferentes de óleos essenciais. A respeito da quantidade, é preciso seguir a receita: para cada 5 ml de óleo carreador, usa-se no mínimo 1 gota e no máximo 3 gotas de óleo essencial, por exemplo. Os óleos essenciais são muito concentrados, para seu aproveitamento devem ser utilizados diluídos em algum meio. Mais abaixo falaremos de como utilizar e os cuidados necessários.



Características importantes a considerar no preparo das sinergias


Número 1 >> Encontrar óleos essenciais com as propriedades que você precisa.


Queremos fazer uma sinergia de óleos essenciais energizantes, então pesquisamos por “óleos essenciais energizantes” e encontramos: alecrim, sálvia, bergamota, eucalipto, capim-limão, hortelã-pimenta, manjericão, cipreste, limão, gengibre, ...

Você está vendo algo semelhante entre esses óleos essenciais? Pois bem, eles são todos muito distintos porém todos possuem propriedades estimulantes e esclarecedoras. Você tem óleos fortes como alecrim, eucalipto, hortelã e óleos mais doces como sálvia, bergamota...



Número 2 >> Misturando óleos essenciais de acordo com a sua categoria e notas


2.1 Categorias dos óleos essenciais


Os óleos essenciais são agrupados com base em seus aromas e os óleos da mesma categoria tendem a se misturar bem juntos, mas você também pode misturar e combinar as categorias abaixo:


Categorias


Floral – lavanda, jasmine, camomila, ylang ylang, gerânio, ... Terra – patchouli, vetiver, sálvia, mirra, gengibre, ... Herbal – manjericão, manjerona, alecrim, menta, tea tree, citronela ... Mentolado – hortelã , hortelã-pimenta, menta, ... Cânfora – eucalipto, tea tree, hortelã-pimenta, menta, alecrim, ... Picante – noz moscada, cravo, canela, gengíbre, anís, ... Oriental – gengíbre, patchouli, ... Cítrico – laranja, tangerina, limão, citronela ... Madeira – sândalo, pinho, cedro, canela, cipreste, cravo, ...



Misturas e Combinações


FLORAIS misturam bem com picantes, cítricos e madeira. MADEIRA misturam bem com todas as categorias. PICANTES combinam com óleos florais, orientais e cítricos. ORIENTAIS misturam bem com florais, orientais e cítricos. HERBAL misturam bem com madeira e mentolados. CÍTRICOS combinam com florais, madeira, mentolados, picantes e orientais. CÂNFORA combinam com óleos madeira. TERRA misturam bem com madeira e mentolados. MENTOLADO mistura bem com madeira, terra, herbáceas e cítrico



2.2 Notas do Óleo Essencial


Utilizados a solo ou misturando mais que uma variedade, os óleos essenciais estão divididos em três categorias, ou seja, conforme as suas “notas” ou índice de evaporação. Por exemplo:

  • Óleos de nota elevada – os mais estimulantes e revigorantes, têm um aroma forte, mas o seu perfume dura apenas entre 3 e 24 horas. Alguns exemplos incluem: anis, bergamota, citronela, eucalipto, lavandim, limão, capim-limão, hortelã-pimenta, laranja.

  • Óleos de nota média – actuam ao nível das funções corporais e metabólicas e, embora menos potentes, a sua fragrância só evapora passados 2 ou 3 dias. Alguns exemplos incluem: camomila, funcho doce,cipreste, canela, lavanda, gerânio, ylang ylang, tea tree, alecrim, manjerona, sálvia, .

  • Óleos de nota baixa – o seu aroma doce e calmante, tem efeitos relaxantes no corpo e é a fragrância que mais tempo dura, até uma semana. Alguns exemplos incluem: cedro, cravo, gengibre, patchouli, sândalo, vetiver.


Em geral


Nota superior: cítricos, mentolados e canforados. Nota média: florais, orientais e herbáceas. Nota da base: amadeirados, terrosos, resinosos, doces/abaunilhados.



Como utilizar e alguns cuidados necessários


Aromatização de ambiente

Os óleos essenciais são muito concentrados, possuindo assim um aroma muito forte quando puros. Para a aromatização de ambientes, você pode adicionar uma gota no ambiente, a cada um metro, que será o suficiente. Outra possibilidade é diluir cerca de 10 ml de óleo essencial puro em 1 litro de água, umedecer um pano com esta solução e passar no ambiente desejado.



Compressa


Quando uma região do corpo sofre um impacto ou lesão, a dor, o inchaço e a vermelhidão logo aparecem. Muitas pessoas utilizam a compressa para aliviar e acelerar a recuperação deste impacto ou lesão, mas você sabia que os óleos essenciais podem ajudar ainda mais nesta recuperação? Alguns óleos possuem propriedades analgésicas e estimulantes de circulação periféricas, podendo assim ser utilizados para o tratamento de contusão muscular. De duas a três gotas de óleo essencial na compressa é o suficiente para aumentar o efeito e contribuir no relaxamento muscular.



Massagem


Os óleos essenciais são muito utilizados em massagens, graças às suas propriedades analgésicas, relaxantes e estimulantes de circulação periférica. É bom lembrar que o óleo essencial, por ser muito concentrado, deve ser diluído em algum óleo carregador, como óleo vegetal, para evitar possíveis irritações na pele e reações adversas. Cerca de 35 gotas para cada 100 ml de óleo vegetal é uma boa proporção para a aplicação em massagens.



Inalação


Alguns óleos essenciais podem melhorar o sistema respiratório (em situações de resfriados, por exemplo), além de proporcionar um possível relaxamento psicológico. A adição de algumas gotas do óleo (em torno de quatro) em um recipiente com água quente pode ajudar na respiração da pessoa que irá fazer a inalação.



Limpeza


Diversos tipos de óleos essenciais carregam compostos que possuem ação antisséptica. Portanto, podem ser utilizados na limpeza, matando diversos micro-organismos. Algumas gotas puras podem ser aplicadas em um pano que seja passado na área desejada, porém, as gotas devem ser bem espalhadas para o aroma não ficar muito forte.



Cabelo


Os óleos essenciais podem ser utilizados também em tratamento capilar, sendo misturadas algumas gotas (dez) em xampu (100 ml) ou óleo vegetal (100 ml) e massageando a mistura no couro cabeludo. Podem ser utilizados para tratamento de cabelos secos (óleos essenciais de cedro e de sálvia), cabelos oleosos (óleos de cedro e limão), tratamento de caspas (alecrim e melaleuca) e queda (alecrim e cedro).



Banho


No banho, os óleos essenciais são eficientes para acalmar a mente e melhorar o sistema respiratório por meio da inalação. Na ducha, três gotas podem ser aplicadasa em apenas um canto do box, pois, se mais do que isso for adicionado, a umidade gerada no banho p