Dica Saudável | Movimento Lixo Zero



Movimento Lixo Zero

Você já parou para pensar em como funciona a inteligência do planeta?


Esse grande organismo vivo se gerencia e autorregula em um processo cíclico. A energia é provida pelo Sol em abundância e todo o resíduo de uma espécie é alimento de outra. Tudo nasce para depois morrer e se transformar em energia para o ambiente novamente. O ciclo funciona em harmonia - ou deveria. O ser humano cada vez mais desequilibra essa balança e torna difícil para os serviços ecossistêmicos suportarem ou se recuperarem.


Sabemos que hoje um dos principais problemas ambientais do mundo é a grande quantidade de resíduos gerados pela população e indústrias. O brasil perde 8 bilhões de reais por ano enterrando matéria prima nos aterros sanitários. De acordo com os dados do Plano Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), apesar de 30% de todo o lixo produzido no Brasil ter potencial de reciclagem, apenas 3% é de fato reaproveitado. E ainda mesmo com a política de resíduos, apenas 18% dos municipios brasileiros possuem coleta seletiva de resíduos.

Se inspirar e aprender com a inteligência da natureza é o que da vida ao Movimento Lixo Zero, se opondo ao processo produtivo linear através do processo circular. O objetivo consiste no máximo aproveitamento e correto encaminhamento dos resíduos recicláveis e orgânicos e a redução – ou mesmo o fim – do encaminhamento destes materiais para os aterros sanitários e/ou para a incineração. Quando você desvia os seus resíduos desses finais significa que eles não viraram lixo (afinal na natureza não existe lixo), e sim matéria produtiva pra algum processo ou produto.

Pode-se dizer ainda que o Lixo Zero é um conceito de vida, no qual o indivíduo e, consequentemente, todas as organizações das quais ele faz parte passam a refletir e tornam-se conscientes dos caminhos e das finalidades de seus resíduos antes de descartá-los. Levar uma vida Lixo Zero é incentivar a autorresponsabilidade de que nós somos o impacto que geramos. É importante refletirmos diariamente sobre nosso impacto no mundo, em como nos relacionamos com o meio que nos circunda. Para melhor compreender esse movimento se faz necessário resgatar a definição do objeto pelo qual este passou a existir, o Meio Ambiente. Segundo Neves (1992, p. 17): “meio ambiente é tudo o que tem a ver com a vida de um ser ou de um grupo de seres vivos. Tudo o que tem a ver com a vida, sua manutenção e reprodução”. O autor acrescenta que nesta definição inclui-se os elementos físicos, o clima, os elementos vivos, os elementos culturais e a maneira como as atividades humanas interferem nestes elementos, e também as interações entre os elementos. Sendo assim, o meio ambiente não se trata apenas do meio natural, mas também se refere a tudo que é construído pelo homem.


Portanto é imprescindível restabelecer a noção no ser humano de pertencimento ao meio ambiente, no qual possui vínculos naturais para a sua sobrevivência. Ter a noção de que o homem, como qualquer outro ser vivo, é um elemento da biosfera tem importante conseqüência na preservação do meio ambiente, uma vez que na estreita interdependência que liga entre si os diversos constituintes de um ecossistema a proteção da natureza resulta na proteção do próprio homem. Afinal nós somos natureza, ela não esta separada de nós. Os desequilíbrios que observamos no meio é conseqüência do desequilíbrio que ocorre em cada um de nós, no distanciamento do natural. É preciso repensar hábitos e valores para um bem maior e a mudança começa com pequenos passos no dia a dia.


Segundo os estudos da fundação da velejadora britânica Ellen MacArthur, em parceria com a consultoria McKinsey, apresentados no Fórum Econômico Mundial de Davos - encontro que acontece anualmente com os principais líderes políticos e investidores para discutirem um panorama econômico e político mundial, caso nada mude, em 2050 teremos mais plástico que peixes nos oceanos.


”O sistema atual de produção, de utilização e de abandono de plásticos tem efeitos negativos significativos: entre US$ 80 bilhões e US$ 120 bilhões (entre 73 bilhões de euros e 109 bilhões de euros) em embalagens de plástico são perdidos anualmente. A par do custo financeiro, se nada mudar, os oceanos terão mais plásticos do que peixes [em peso] até 2050”, trecho do comunicado do fórum. Assustador né? E a solução é simples e começa por nos mesmos. Esperar por leis e por ações governamentais em prol de uma mudança de prognostico não é suficiente, é necessário um emponderamento e autorresponsabilização para que a mudança seja efetiva e rápida! Mude seus hábitos, pois a sua vida, a minha e demais seres vivos, depende de você, de mim e de todos juntos agindo de forma diferente.


Mas afinal, o que podemos fazer para reverter esse quadro?



8 Rs da sustentabilidade


🍃A formar de colocar em prática é através dos 8’s R da sustentabilidade: Reflita, Reduza, Reutilize, Recicle (também entra a compostagem como forma de reciclagem dos resíduos orgânicos), Respeite, Repare, Repasse e Responsabilize-se!

Praticar metodologias Lixo Zero tem como efeito colateral o bem estar coletivo, economia de recursos e logística, fortalecimento da economia local e circular, inclusão social e resiliência.


A seguir, saiba mais sobre esse conceito e como você pode incorporá-lo ao seu cotidiano.



>> Repensar


O consumismo exagerado é uma das maiores causas que contribuem para a degradação ambiental e social. Para fazer a nossa parte, precisamos repensar os nossos hábitos de consumo. Portanto, antes de comprar alguma coisa, que tal pensar se você realmente precisa dela, se já não possui algo que pode ser usado no lugar? Também avalie todo o ciclo de vida do produto, desde a produção até o descarte, e não o compre se considerar os impactos socioambientais muito grandes.



>> Recusar


Tudo começa com um simples não! Não aquele canudinho, a sacolinha plástica ou a um folder que te entregam na rua. Para contribuir para um mundo mais limpo e sustentável, podemos e devemos recusar produtos que prejudicam o meio ambiente e que podem ser substituídos por versões recicláveis ou reutilizáveis. O uso de ecobags no lugar das sacolinhas plásticas de mercado e a preferência por embalagens biodegradáveis em vez da de plástico são alguns exemplos que podem ser facilmente adotados no cotidiano.



>> Reduzir


A ideia aqui é fazer com que o consumo de energia e a quantidade de lixo produzida seja a menor possível. Para isso, é preciso consumir menos produtos e dar preferência aos de maior durabilidade. Evite usar pratos e copos descartáveis, compre refis dos produtos, dê prioridade a embalagens retornáveis, lâmpadas de LED e pilhas recarregáveis.



>> Reutilizar


Ao reutilizar um produto, você aumenta a vida útil daquele item e reduz a produção de lixo. Com embalagens, jornais velhos, resíduos de metal ou plástico e um pouco de criatividade, você pode criar produtos artesanais ou peças de decoração. Roupas, móveis e brinquedos que não são mais usados, por sua vez, podem ser doados ou vendidos.



>> Reciclar


Se o produto não puder ser reutilizado, a melhor alternativa é a reciclagem. Além de ajudar a aumentar a vida útil dos aterros sanitários e não poluir o meio ambiente, a reciclagem reduz o consumo de recursos naturais usados como matéria-prima do processo produtivo comum. Isso provoca também uma redução no consumo de água e energia, e ainda gera emprego. Comece agora a fazer a sua coleta seletiva! Aqui também entra o lindo processo de compostagem que pode ser feito ate em apartamentos ou casas! Mas o que é compostagem? Compostagem é o conjunto de técnicas aplicadas para estimular a decomposição de materiais orgânicos por organismos heterótrofos aeróbios, com a finalidade de obter, no menor tempo possível, um material estável, rico em substâncias húmicas e nutrientes minerais formando assim um solo humífero. Para apartamentos é aconselhável a compostagem através de uma vermicomposteira, com o beneficiamento dos resíduos por nossas amigas minhocas!


Diariamente, Porto Alegre gera 1.500 toneladas de resíduos sólidos. Os resíduos orgânicos representam cerca de 50% desses resíduos e, atualmente, são destinados até um aterro sanitário que fica a 130Km da capital. Isso causa ineficiência nos gastos públicos e um impacto ambiental negativo para a região. Para você que não tem espaço em casa ou nao se adapta com um minhocario em casa tem uma opção muito pratica aqui em Porto Alegre que é a Re-ciclo. Fundada em 2016, a Re-ciclo tem por principal objetivo dar um destino sustentável e adequado àqueles resíduos que antes iam parar nos aterros. Faze isso por meio da compostagem dos resíduos orgânicos que buscam semanalmente na casa dos seus clientes, de bicicleta, e transformam todo esse material em adubo, um composto rico em nutrientes que pode ser usado em hortas e jardins.


Saiba mais aqui.


Na Boaformula você faz o descarte correto. Desde 2000 realizamos o recolhimento de lixo químico.

O descarte pode ser feito na loja

Av. Independência, 1163

Porto Alegre/RS

ou você pode entregar para o motoboy no seu próximo pedido de tele-entrega.

A embalagem vazia também pode ser entregue para separação correta e envio para reciclagem!




>> Respeitar


Respeito é essencial para viver em harmonia. Assim, respeite o meio ambiente, todas as formas de vida semelhantes ou não, as outras pessoas e a si mesmo.

Responsabilize-se

Responsabilizar-se pelos seus impactos, bons e ruins, e tomar as medidas necessárias em relação a eles. Seja responsável pela sua rua, seu bairro, sua cidade. Cuide!



>> Repassar


Passe adiante. Compartilhe com seus amigos. Inspire outras pessoas.

Muitas dessas ações não exigem esforço algum, tratam-se apenas de uma escolha mais consciente. Faça a sua parte e incentive todos a sua volta a adotar tais práticas! Todos juntos por um mundo melhor.



E hoje também queremos compartilhar com vocês uma linha de Produtos Lixo Zero da Vegalótus que vem com vários ecoprodutos para ajudar você no dia a dia e na redução de lixo e que você pode encontrar na Boaformula!


A Vegalótus (@vegalotus) nasce com o propósito de incentivar esse movimento e um consumo mais consciente, trazendo ecoprodutos reutilizáveis, compostáveis e responsáveis que visam cuidar de você e do meio ambiente, reduzindo o impacto ambiental que geramos diariamente.



Linha Lixo Zero >> Ecoguardanapo

Ecoguardanapos feitos com tecidos para acompanhar sua jorganada lixo zero e substituir os guardanapos convencionais de papel. Pode ser usado também para levar seu lanche na bolsa, dispensando o papel alumínio, as possibilidades e funcionalidades são muitas! Os produtos são feitos de maneira artesanal e com o reaproveitamento de tecidos, por isso podem apresentar variação de cor, tamanho, tipo de fibra e acabamento. Cada produto é unico e especial, feito com muito amor.

Impactos da fabricação do papel:


O principal impacto ambiental associado à fabricação do papel é a derrubada de árvores para a extração da celulose, resultando na devastação de florestas nativas — que dão lugar a espécies como eucaliptos e pinus.

Outra consequência negativa do processo de produção do papel é a adição de componentes químicos na água. Esses resíduos tóxicos podem prejudicar seriamente o meio ambiente, quando são descartados incorretamente. Para o branqueamento do papel, por exemplo, são utilizados cloro e agentes corrosivos que afetam os ecossistemas aquáticos.


A alternativa do uso de ecoguardanapo é sustentável por ter seu ciclo de vida extendido com o possível reaproveitamento por inumeras vezes e ser um material proveniente de aproveitamento de resíduo da industria textil.


>> Ecodiscos

O Ecodisco de algodão cru é um companheiro para os nossos cuidados diários que merecem tanta atenção na busca de impactos positivos. A proposta é substituir a bolinha de algodão de uso único, podendo ser usado na limpeza da pele das impurezas e poluição, retirar maquiagem, tonificar a pele, aplicar hidrolatos e mascaras faciais.


A fibra é natural, mas a maneira como ele é cultivado pode ser prejudicial ao meio ambiente pelo modo de cultivo em monocultura que ameaça a biodiversidade e provoca desmatamentos. Além do uso indevido de agrotóxicos e fertilizantes que poluem água, solo e ar. Como alternativa você pode utilizar os ecodiscos para cultivar um autocuidado sustentável e lixo zero. Feito artesanalmente e com muito amor o kit vem com 3 ecodiscos e 1 saquinho para você guardar eles e levar a qualquer lugar!


Para usar e reutilizar quantas vezes quiser!


Indicação de higienização: Para conservar e manter limpo seu ecodiscos, é indicado lavar com sabão neutro após o uso. Também pode ser colocado em imersão 1 x por semana em uma solução com 4 colher de sopa vinagre de maça em 500ml água ou 1 gota de OE melaleuca que é bactericida e fungicida nessa mesma quantidade de água.


>> Saquinhos de tecido

Saquinhos feito artesanalmente e com muito amor com aproveitamento de resíduo da indústria textil para acompanhar a jornada de lixo zero. São materias primas ressiginificadas dos mais variados materiais, não extraindo novos recursos para fabricação para tornar o produto ecológico em todo seu ciclo de vida!


São versáteis e bons aliados para as compras a granel! Pode ser usado para nozes, castanhas, frutas secas, grãos diversos, como também frutas e verduras reduzindo o uso de sacolas plásticas! São inumeras utilidades para usar e reutilizar!

* Podem apresentar diferença de fibras e cores pela disponibilidade de material, honrando a materia prima com aproveitamento integral dos tecidos.