Dica Saudável | Lavanda: a planta medicinal que encanta.


Lavanda: a planta medicinal que encanta.


Nessa edição da Dica Saudável falaremos sobre uma planta aromática bem conhecida e apreciada por seu aroma doce e floral. Cada vez mais nós buscamos tranquilidade. Sinônimo de bem estar e saúde, muitas vezes acabamos nos afastando cada vez mais do ponto onde se encontra a tranquilidade. Aprendemos desde criança que essa tranquilidade será encontrada fora de nós, assim aprendemos a querer coisas que na verdade não queremos. A Lavanda que será a plantinha que iremos apresentar um pouco mais para vocês vem com o propósito de nos levar ao movimento interno, da tranquilidade que vem de dentro para fora.


Dentre as mais comuns no Brasil temos a lavanda francesa - Lavandula vera ou angustifolia - e a Lavandula Brasileira - Lavandula dentata -, mas, muitas outras espécies também são ricas em óleos aromáticos e cada país tem a sua espalhada pelas montanhas.


Erva mediterrânea, a lavanda é muito conhecida desde tempos antigos por suas propriedades medicinais. Inicialmente a Lavanda estava localizada somente em terras selvagens, onde outras plantas não cresciam, só ela. Era cultivada na Borgonha já no século XIV, mas o clima e o solo propícios da Provence fizeram com que ela se desenvolvesse mesmo nessa região. Seu nome se originou do verbo latino lavare, o que significa lavar e confirma, assim, a reputação de antisséptica reconhecida pelos romanos.


Foi classificada na Farmacopeia como planta preciosa. As boticas antigas já aproveitavam os seus benefícios, mesmo antes do nascimento de sínteses químicas.


É considerada uma erva “morna”, pois ela tem uma propriedade curativa que não é nem quente e nem fria. Porém, pode auxiliar os sintomas das duas dimensões.


Possui diversas propriedades, como por exemplo, ação antifúngica, analgésica, anti-inflamatória, bactericida, sedativa e cicatrizante. O óleo essencial da planta é super recomendado e rico em vários tipos de ésteres e álcool. É útil para combater a depressão, a ansiedade e o estresse. Certamente ajuda a relaxar a mente, sendo a sua aplicação bastante útil em momentos de maior tensão.



Cultive sua lavanda em casa, é fácil, cheiroso e bonito


Lavanda é uma planta aromática que é frequentemente encontrada fora do nosso lar. Se a idéia é inserir essa planta medicinal em sua rotina, uma boa alternativa é cultiva-la dentro de sua casa ou apartamento! Requer alguns cuidados não muito excessivo, e cresce de forma quase espontânea.


Importante ressaltar que a Lavanda, a de Provence, é a planta Lavandula angustifolia, que é pouco adequada ao nosso clima brasileiro. Alfazema sim, é fácil de se cultivar - a alfazema é a Lavandula dentata, uma espécie mais adaptada ao clima quente e úmido que temos por cá.


Tanto uma como outra espécies de Lavandula são plantas rústicas, entouceiradas, que crescem como arbustos redondos e podem durar até 12 anos, produzindo suas lindas flores e aroma sem par.


As lavandas, em geral, não suportam climas muito úmidos e também não gostam de calor em demasia, por muito tempo. Na Europa a gente encontra lavandas, de espécies diversas, de norte a sul, em áreas rurais ou urbanas, compondo canteiros, vasos ou extensos campos de cultivo para produção do óleo essencial.



A ecologia das lavandas



Solos calcários e arenosos

Apesar de ser uma planta rústica, bastante tolerante às variações de temperatura, a lavanda prefere solos bem drenados, leves (mais para o arenoso) e moderadamente férteis, com pH entre 6,5 e 7,5.


O ideal para os cultivos de lavanda são os solos calcários e, se este não for o seu caso, você precisará acrescentar cal e nutrientes para favorecer o enraizamento.



Água em excesso é fatal

Muita água é fatal para qualquer espécie de lavanda e, pior ainda, se o solo ficar encharcado. No enraizamento é importante que se mantenha a umidade do solo mas, depois que a planta estiver firme, bem enraizada, ela só precisará de ser irrigada esporadicamente.



Poda da sua lavanda


A poda desta árvore é normalmente realizada quando o processo tenha terminado a floração, de modo que fugir e folhas murchas do vegetal para evitar que ele pode sofrer algum tipo de praga que danos. Para o crescimento de lavanda está correto, muitas vezes é plantada em um vaso grande de forma que suas raízes possam crescer livremente.


Onde se produz bem lavanda aqui no Brasil?


Em São Paulo há campos de alfazema, extensos e produtivos, em Cunha, uma cidadezinha no alto da Serra do Mar, onde o clima é mais frio, os verões são mais amenos e o solo, calcário.


Em Gramado, no RS, há um parque de lavandas de variedades diferentes pois o clima de lá, bem mais frio e seco, permite o cultivo de outras diferentes da Lavandula dentata, a única espécie que aguenta clima mais quente.



Como se planta a lavanda?


Se você preferir as sementes, encontre aquelas variedades que sejam mais adequadas ao clima da sua região.


Semeie superficialmente e cubra levemente com terra solta peneirada. Você poderá semear diretamente no local definitivo, jardim ou jardineira mas, também poderá preparar as mudas em bandejas, para melhor controlar seu desenvolvimento.


A germinação das sementes acontece de 2 a 6 semanas após a semeadura, dependendo das variedades, da disponibilidade de nutrientes e do clima.

Mas, cultivar com sementes pode ser mais complicado do que parece pois, algumas variedades requerem escarificação e alternância de temperaturas.


Mas, as lavandas também podem ser reproduzidas por estacas, ramos de 10 cm, sem folhas, cuja parte inferior deverá ser enterrada na terra.

Tanto para as sementeiras como para as estacas, o solo precisa ser mantido levemente úmido. No campo se recomenda um espaçamento de 30 a 90 cm entre cada planta, para que estas cresçam sem se atrapalharem.

Em vasos, prefira aqueles que tenham, no mínimo, 30 cm de profundidadee de diâmetro.


O mais prático é você comprar uma muda já desenvolvida, no ponto para colocar no local definitivo.


Como se beneficiar das propriedades da Lavanda?


Ele poder ser utilizada na medicina, na cosmética e perfumaria. A lavanda com seu aroma único produz um liquido extraído das flores de lavanda a partir da destilação chamado de óleo essencial. Além de produzir um aroma muito agradável , ele conta ainda com uma grande quantidade de propriedades que ajudam a melhor a saúde, equilibrar corpo e mente favorecendo um bem estar e melhorando a qualidade de vida.


Uma breve explicação sobre o que são os óleos essenciais


A aromaterapia é baseada no uso dos óleos essenciais que são substâncias químicas produzidas por plantas, folhas, cascas de frutos, raízes, sementes e troncos. Eles residem nas plantas e são rompidos, formando uma nuvem de aroma na sua extração, e transformados em líquido. Os óleos são altamente concentrados, podendo ultrapassar até 300 componentes químicos.


Falando de modo geral, óleos essenciais são muito concentrados, uma gota de óleo essencial é o equivalente até 30 xícaras de chá, formando um produto de alto custo contendo todas suas propriedades terapêuticas, sendo 100% puro e natural. Possui coloração fraca e transparente, sua validade em geral é de 2 anos.


Os OEs (óleos essenciais) diluem-se facilmente em gorduras, também são solventes e inflamáveis.


Obs.: Não confunda óleos essenciais com essências, as essências são substâncias sintéticas que não possuem propriedades terapêuticas e podem conter óleos minerais e outras químicas, o seu aroma dura pouco e possui baixo custo no mercado.


Por serem naturais, esses óleos possuem uma química muito semelhante a do nosso organismo com inúmeros benefícios, dentre eles a maioria com ação antisséptica e podem ser utilizados de diversas maneiras: Massagens, Difusão, Nebulização, Inalação, Banho, Escalda-pés, Compressa, Ingestão Oral (com supervisão médica) e em Uso Cosmético.


A Lavanda é do gênero Lavandula, da família das Laminacea e possui diversas variedades! Podemos encontrar o óleo essencial da Landula Dentata e Landula officinalis


Quer saber mais sobre os Óleos Essenciais? Clique aqui.



Duas lavandas, dois usos diferentes.


Aqui estou falando das diferenças, que são significativas, para o uso aromático do óleo essencial de lavanda, Lavandula angustifólia (lavanda francesa), ou da Lavandula dentata (lavanda Brasil). . Isso porque o óleo de Lavanda Francesa é rico em substâncias ansiolíticas, sedativas do sistema nervoso central, indicadas para pessoas hipertensas. Já a Lavanda Brasileira é rica em cânfora, a qual estimula o sistema nervoso central e contraindicada para pacientes hipertensos.


É importante que você saiba a origem da lavanda que usa pois, dessa origem vai depender a composição básica do seu óleo essencial, ainda que a planta seja da mesma espécie, e seu uso terapêutico específico.



A lavanda francesa

A Lavandula angustifolia, também chamada de lavanda francesa por ser muito abundante na região de Provence produz um óleo essencial com propriedades terapêuticas sedativas pelo seu elevado conteúdo em linalol e linalila. Por isso é recomendado seu uso como aromatizante quando você se sente agitada, nervosa (pois ela acalma o sistema nervoso central).


Como sedativo, esse aroma pertence ao elemento ar e tem uma ação calmante que atinge profundamente quem faz uso dele. Seu efeito calmante é propício em problemas de sono (o adormecer, a insônia, pesadelos), em casos de agitação nervosa (em situações traumáticas pessoais, por exemplo) ou em situações que se requeira maior tranquilidade para a tomada de decisões.


O óleo de lavanda proveniente da Lavandula angustifolia também é um dos melhores óleos cicatrizantes e recuperadores da pele que conhecemos, aliando a esta sua qualidade, age como poderoso antisséptico. Muito útil para cuidar de ferimentos, ulceras e machucados de todos os tipos. Suas propriedades antissepticas previnem a entrada de infecções, ao mesmo tempo, ajudam minimizar cicatrizes. Ao contrario da maioria dos óleos essenciais, e possível aplica-lo puro na pele, inclusive em machucados, ferimentos, picadas, queimaduras e ferroadas, como remédio de primeiro socorros.


Para pele também é um tonificador. Depois da limpeza, use a água floral de lavanda (também conhecido como hidrolato)como um Tonico eficaz. Ele revitaliza e refresca, com propriedades antissépticas que tornam uma boa opção para quem ter pele oleosa ou propensa à acne. A água floral de lavanda possui efeito regenerativo na pele inflamada ou danificada. O óleo é bom para acalmar problemas inflamatórios como dermatites,eczema e psoríase. Quando incluído em loções, óleos de massagem e preparações para banho, ajuda a amaciar e hidratar a pele.


Para a saúde capilar, é um bom aliado no combate a caspa e oleosidade do cabelo. Enxague o cabelo com óleo essencial misturado a água morna ou com um infusão forte de flores de lavanda. Também é útil para tratar piolhos e lêndeas. Essa planta maravilhosa ainda estimula o crescimento dos fios! Pesquisas mostram que massagear o óleo de lavanda no couro cabeludo melhora significativamente o crescimento do cabelo.