Dica Saudável | Torta de Pêssego


Torta de Pessêgo: comer bem faz bem!



Hoje a nossa Dica Saudável é para compartilhar uma receita deliciosa de torta de pêssego!


Seu propósito é resgatar que comer doces gostosos e saudáveis é a melhor combinação. É necessário que a gente desconstrua de nossas mentes que o saudável é sem sabor e sem gosto para que possamos reeducar esse paladar estimulado com alimentos industrializados, com excessos de sal, açúcar e aditivios químicos. O sabor doce desejado por nós por natureza pede por uma fruta, alimento que naturalmente esta disponível a nós. Na natureza não existe o açúcar isolado, ele esta em conjunto com outras vitaminas, água, sais mineiras e fibras para proporcionar esse adocicado de forma equilibrada e saudável para o organismo. Aqui não queremos banir o açúcar de nossas dietas, mas apenas questionar o consumo em excesso dele. Para isso existem alternativas como utilizar as próprias frutas para adoçar, açúcar de coco e xilitol, por exemplo.


Além de uma opção de doce incrível, ela traz uma variedade de alimentos que a tornam funcional e muito nutritiva para se comer!



O doce das Frutas


As frutas são nossa inspiração para essa torta, com uma combinação do doce da maçã na massa, a suculência do pêssego como recheio e uma massa sem glúten para completar! O pêssego como ingrediente principal, pois afinal estamos na época dele!Além de serem mais baratas, elas são mais nutritivas na época da safra.

É importante que conheçamos as épocas naturais de colheita de cada alimento. Cada um deles terá maior plenitude nas suas propriedades nutricionais, como a função de provocar a sustentação da vitalidade dos órgãos e vísceras do organismo.O corpo humano funciona em sincronicidade com a natureza e suas estações. Garantir o bom funcionamento de todo o organismo depende desta humildade e cumplicidade com a Terra.

Mas o Brasil é um país de dimensão continental, que apresenta climas, culturas, produções e até nomenclaturas regionais. Então, a listagem abaixo é uma referência que encontrei de relação homem, estações e plantas. Tem espécies de todo Brasil que podem não ser comuns a nós, tendo que cada um se adequar à cidade e região em que vive.



Alimentos da estação


>> INVERNO - Sistemas fragilizados: rins, bexiga, ossos e dentes.


No inverno os rins estão mais “yin”. Ou seja, menos ativos, tempo de parada e renovação. É o momento do ano em que eles estão mais vulneráveis e fragilizados. Portanto, é preciso fortalecê-los. O certo neste momento é consumir os alimentos típicos do inverno de seu país ou cidade. São as raízes, as sementes que precisam ser integrais e previamente germinadas, as frutas cítricas, as crucíferas e as folhas de cor verde bem escuro.


No inverno brasileiro é época de abóbora, abobrinha, batata doce, berinjela, brócolis, cará, cenoura, couve-flor, ervilha, inhame, mandioca, mandioquinha, nabo, acelga, alface, chicória (escarola), couve, espinafre, mostarda, repolho, banana, laranja, limão, mamão, melão, morango, pêra, pinhão e tangerina.



>> PRIMAVERA - Sistemas fragilizados: fígado, vesícula biliar e tendões.


Na primavera o sistema hepático está menos ativo. É o momento do ano em que fígado-vesícula mais precisam de uma aliviada nos excessos e uma bela tonificada. É hora de consumir mais flores e folhas. Abóbora, abobrinha, alcachofra, berinjela, beterraba, cenoura, chuchu, couve-flor, ervilha, mandioquinha, nabo, vagem, alface, almeirão, catalonia, chicória (escarola), repolho, banana, caju, laranja, melão, morango e pêssego. Aliás, em qualquer estação, a irritabilidade pode ser superada com mais verduras da primavera e diminuindo os alimentos aquecedores do inverno.



>> VERÃO - Sistemas fragilizados: coração, vasos, artérias e intestino delgado.


Verão é momento de frescor, hidratação e tudo de fácil digestão, ou seja, caprichar nas frutas, saladas e alimentos leves: abóbora, abobrinha, agrião, alcachofra, alho, batata-doce, berinjela, cenoura, chicória (escarola), chuchu, jiló, mandioca, milho verde, moyashi (broto de feijão), nabo, pimentão, quiabo, rabanete, repolho, abacaxi, abacate, ameixa, banana, caju, coco, figo, goiaba, jaca, laranja, limão, maçã, manga, maracujá, melancia, melão, pêra e uva.



>> OUTONO - Sistemas fragilizados: Pulmões e pele.


No outono começam os problemas respiratórios e de pele. Portanto, é o momento mais apropriado para cuidar muito bem destes sistemas de excreção. Os bons alimentos são: abóbora, abobrinha, acelga, alface, batata-doce, berinjela, brócolis, chuchu, mandioca, nabo, pimentão, quiabo, rabanete, tomate, vagem, repolho, abacate, banana, caqui, coco, goiaba, jaca, laranja, limão, linhaça, maçã, maracujá, melancia, pêra e tangerina.



Alimentos orgânicos


Além da importância do consumo de alimentos da estação, devemos ressaltar também o consumo de alimentos orgânicos, provenientes de cultivo agroecologico. Apenas um solo saudável poderá sustentar uma planta saudável. Solo sadio, planta sadia e homem sadio. Essa relação é um marco de Ana primavesi que traz a consciência do solo como um organismo vivo e importante no cultivo, sendo uma das responsáveis pelos avanços nos estudos sobre o manejo ecológico do solo e sua difusão, se tornando a pioneira da agroecologia no Brasil e na América Latina.

Ela foi a primeira mulher, em um ambiente científico dominado por homens, a defender que o solo é um ser vivo, e que a própria vida das pessoas, é propiciada pela vida do solo.

Ela também desempenhou papel importante para que a agroecologia fosse pensada como uma ciência e, ao mesmo tempo, considera um saber popular, que vem sendo praticado há séculos pelos camponeses, e atualmente reapropriado e resignificado, na produção de alimentos saudáveis e vivos, sem o uso de agrotóxicos e defensivos químicos.


“A agricultura convencional é a arte de explorar solos mortos. (…) As pessoas que comem agora estas colheitas, comem plantas doentes e também se tornam doentes. Uma planta deficiente somente pode gerar um homem deficiente e deficiência sempre significa doença. Por isso precisa-se a cada ano mais leitos hospitalares”, explica Primavesi.


Apenas um solo sadio pode proporcionar o ambiente ideal para o desenvolvimento da planta. Ele depende da relação de microorganismos como bactéria e fungos, dentre outros insetos que são responsáveis pela ciclagem de elementos, participantes importantes na teia da vida. Uma planta saudável pode nos proporcionar em todo seu potencial fibras, vitaminas, mineiras e água para nutrir nosso corpo e ajudar em seu funcionamento.



Benefícios das fibras


As fibras são substâncias que também estão presentes nos alimentos. Elas não são consideradas nutrientes porque não são absorvidas pelo organismo, isto é, não vão para a corrente sangüínea. Mesmo assim, são essenciais para manter o bom funcionamento do intestino, prevenir o câncer intestinal, auxiliar na sensação de plenitude gastrointestinal (a sensação de fome passa mais rápido e a sensação de saciedade dura mais tempo), diminuir o açúcar do sangue (ajudando no tratamento e controle da diabetes) e reduzir os níveis do colesterol, entre outras funções.



A água: importância e funções


Para se ter uma idéia da importância da água para o nosso organismo, basta uma informação: a água é a responsável por cerca de 70% do nosso peso corporal. Não é por acaso. A água, que não é considerada um alimento, possui inúmeras funções essenciais para o nosso organismo. Confira algumas delas:

  • a água é o principal solvente do organismo, possibilitando a ocorrência das reações químicas;

  • é pela água que são transportados os nutrientes, moléculas e outras substâncias orgânicas;

  • é essencial em processos fisiológicos, desde a digestão até a absorção e excreção de substâncias;

  • atua como lubrificante nos processos de mastigação, deglutição, excreção e nas articulações, entre outros;

  • auxilia na regulação da temperatura corporal;

  • é necessária para o bom funcionamento dos rins, intestino e sistema circulatório;

  • mantém o equilíbrio dos líquidos corporais. É por essas e outras razões que a água é tão importante para nós. Todos os alimentos contêm água, uns mais, outros menos.


Benefícios das vitaminas


As vitaminas são substâncias orgânicas que o nosso organismo não consegue produzir. Necessárias em pequenas quantidades e obtidas através de uma alimentação equilibrada, as vitaminas são essenciais ao nosso organismo, atuando em conjunto com algumas enzimas, controlando atividades das células e diversas funções do corpo.


São classificadas em dois grupos: lipossolúveis (vitaminas A, D, E e K) que podem ser conservadas durante algumas semanas pelo fígado, e hidrossolúveis (vitaminas H, C e do complexo B) que se perdem facilmente quando cozinhadas (por isso, alimentos ricos nestas vitaminas devem preferir-se crus) e não são armazenadas pelo organismo.


Cada vitamina constitui portanto um elo importante para manter uma saúde plena e evitar doenças graves, daí que tenha sido concebida uma porcentagem de dose diária recomendada (DDR). Essa dose diária varia ligeiramente consoante o sexo, o estado de saúde, a idade e outros factores.


  • Melhora a pele e mucosas.

  • Age sobre o sistema nervoso, trabalhando o metabolismo dos açúcares, das gorduras e das proteínas.

  • Fornece energia ao organismo.

  • Melhora a oxigenação celular.

  • Ajuda nos processos de cura e rejuvenescimento.

  • Age nos glóbulos vermelhos, células nervosas, no equilíbrio hormonal e na beleza da pele.

  • Age sobre o tecido conjuntivo, tem poder desintoxicante, combate o stress e também como antibiótico natural.

  • Auxilia na cura de doenças e infecções.



Benefícios mineiras no nosso organismo


Hoje, a Organização Mundial de Saúde (OMS) reconhece o papel de 18 minerais, como zinco, cálcio, ferro, magnésio, iodo, selênio e outros, como fundamentais para o bom funcionamento do nosso corpo. Trata-se de substâncias inorgânicas, isto é, possuem origem mineral e não podem ser produzidos no organismo de um ser vivo.


Mesmo que não sejam produzidos por nós, os minerais desempenham funções vitais para o organismo, ou seja, a presença deles favorece o equilíbrio e manutenção de funções corporais básicas, como:


Funções corporais básicas dos sais minerais:

  • Condução de impulsos nervosos;

  • Atividade e manutenção celular;

  • Ativação e regulação de atividades de diversas enzimas;

  • Controle do equilíbrio ácido-base;

  • Contração dos músculos;

  • Realização de processos metabólicos.

Funções estruturais no organismo:

  • Formação dos dentes;

  • Formação das unhas;

  • Formação dos ossos.

A importância da presença dos minerais no organismo é indiscutível. Todavia, devemos ter uma alimentação saudável para que todas essas funções possam ser realizadas.



Nosso corpo dá sinais de tudo. Quando comemos alimentos que nos fazem bem, eles são digeridos rapidamente e ajudam na desintoxicação. Entretanto, quando comemos alimentos não muito saudáveis, eles demoram a ser digeridos, formam gazes, dão dor de cabeça e deixam a boca amarga. E minha pergunta para você hoje é como você está se sentindo? Você anda observando os sinais do seu corpo? Consumindo alimentos de qualidade que seram nutritivos e benefícios ao seu organismo, ou poluindo e intoxicando ele?

Depois dessa conversa toda, agora esta na hora de apredermos a fazer a receita dessa torta, não é mesmo?

Torta de Pêssego

Recheio

  • 4 pêssegos orgânicos

  • Uma pitada de canela (coloquei aqui uma colher de chá, utilize de acordo com a sua afinidade com essa especiaria)

  • 2 colheres de sopa de açúcar de coco ou 1 colher de xilitol

  • Umas gotinhas de limão


Massa

  • 1 xicara de flocos de aveia

  • 1 colher de sopa de chia

  • 1 colher de sopa de psysilium

  • Uma pitada de canela

  • 1 colher de sopa de xilitol

  • 3 maças orgânicas

  • Uma pitada de sal do Himalaia

  • 1 colher de sopa de óleo de coco orgânico extra virgem



>> Modo de preparo <<


Vamos começar pelo recheio! Primeiro lave bem seus pêssegos e corte em fatias. Coloque em uma recipiente e adicione o açúcar ou adoçante natural, a canela e o limão e reserve por um tempo enquanto prepara a massa para que ela libere uma calda.

Para a massa você precisará preparar um purê de maça. Pique elas (com casca) e leve no liquidificador com meio copo de água. Bata bem até formar uma mistura homogênea. Misture os secos primeiro e depois acrescente seu purê de maçã e o óleo de coco.

Em uma travessa refratária coloque o recheio em baixo e cubra com a massa. Finalize em cima com chia, açúcar de coco e lascas de coco para dar um charme extra a torta! Leve ao forno pré aquecido 160 graus por 25minutos e estará pronto para deliciar!