Dica Saudável | Óleo de Coco e suas multifuncionalidades.


Óleo de Coco e suas multifuncionalidades



Os óleos vegetais são esses presentes do Reino Vegetal para nosso corpo, seja para nutrir ele internamente ou externamente. Hoje vamos falar sobre um queridinho por muitos: o óleo de coco.


O óleo de coco é extraído do coco fresco maduro, um fruto pertencente à família das Arecaeae gênero e espécie Cocos nucifera L.É composto por ácidos graxos saturados (mais de 80%que apesas de serem gordurasa saturadas, são de fácil metabolização pelo organismo) e ácidos graxos insaturados (oléico e linoléico). Os ácidos graxos saturados caprílico, láurico e mirístico possuem entre 6 e 12 átomos de carbono e por isso são chamados de ácidos graxos de cadeia média. Os demais ácidos graxos saturados são capróico, cáprico, palmítico e esteárico. As gorduras láuricas, como o óleo de coco, são resistentes à oxidação não enzimática,tanto no ambiente como no nosso organismo, e, ao contrário de outros óleos e gorduras, apresentam temperatura de fusão baixa e bem definida.


A composição química do óleo de coco é constituída por:

  • Ácido capricho

  • Ácido caprilico

  • Ácido caproico

  • Ácido láurico

  • Ácido mirístico

  • Ácido palmítico

  • Ácido palmitoleico

  • Ácido esteárico

  • Ácido oleico

  • Ácido linoleico

Uma variedade de componentes quimicos que faz o coco ser considerado um alimento rico em nutrientes.O óleo de coco (Cocos nucifera) é famoso por trazer benefícios para a saúde e beleza por meio da alimentação e aplicação direta nos cabelos, pele, dentes e mucosas.Possui diversas propriedades benéficas devido a sua composição que o tornam antioxidante, antifúngico, antibacteriano, calmante, condicionante, desintoxicante, emoliente e hidratante!


Especialistas da área da saúde têm indicado a ingestão diária de óleo de coco para tratamentos e prevenção de doenças. Entretanto, esse óleo vegetal acaba sendo polêmico, pois enquanto uma parcela de médicos e nutricionistas é a favor do seu uso, outra afirma que o consumo (via digestão) não é ainda comprovadamente seguro devido à quantidade de gorduras saturadas. Por outro lado, há alguns estudos que provam que o seu consumo por humanos pode trazer benefícios para o tratamento e a prevenção de doenças.



Origens


O coqueiro tem origem no Sudeste da Ásia. No século XVI, a planta foi introduzida no Brasil por Duarte Coelho, primeiro capitão-donatário da Capitania de Pernambuco, disseminando-se por muitas regiões, principalmente pelo litoral nordestino.


Os cocos espalharam-se através dos trópicos, em particular ao longo da linha costeira tropical.


Como o seu fruto é pouco denso e flutua, a planta é espalhada prontamente pelas correntes marinhas que podem carregar os cocos a distâncias significativas. A palmeira do coco prospera em solos arenosos e salinos nas áreas com luz solar abundante e pancadas de chuva regulares (75–100 cm anualmente), o que torna a colonização da costa relativamente fácil.


Já foram encontrados cocos transportados pelo mar tão ao norte como na Noruega em estado viável, que germinaram subsequentemente em circunstâncias apropriadas. Entretanto, nas ilhas do Havaí, o coco é considerado como introdução, trazida primeiramente às ilhas há muito tempo por viajantes polinésios de sua terra natal no Sul do Pacífico.


Todas as partes do coco, salvo talvez as raizes, são úteis e as árvores têm comparativamente um alto rendimento (até 75 cocos por ano); ele então possui significativo valor econômico. De fato em Sânscrito o nome para o coqueiro é kalpavriksha, o qual se traduz como "a árvore que fornece todas as necessidades da vida".



Método de extração: Prensagem mecânica


A diversidade de fontes de óleos vegetais leva a uma grande variabilidade dos percentuais de extração. As tecnologias usuais são as de extração por prensagem mecânica, com escalas e ordens de investimento menores, e de extração química, com escalas e investimentos maiores, que utilizam solventes para isso, já as mais avançadas realizam a extração utilizando fluido supercrítico e enzimas.


Independentemente do processo de extração utilizado, o preparo da matéria-prima normalmente passa por algumas etapas iniciais antes da extração em si: limpeza, decorticação (que é a separação das cascas, se houver), trituração, laminação e cozimento.


Do ponto de vista químico não há como selecionar a metodologia mais eficiente para a extração desses compostos que podem sofrer a influência de diversos fatores, como a natureza do vegetal, o solvente empregado na extração, o tamanho das partículas, o tempo e a temperatura de extração.


Já sob o ponto de vista ambiental, a escolha se torna mais fácil. O método da prensagem é o mais natural, produz um óleo de maior qualidade e não gera resíduos tóxicos.



Usos


>> Na comida

O óleo de coco é um ótimo ingrediente culinário. Bolos, doces, cremes, molhos, mousses, sorvetes e até mesmo chocolates caseiros ficam com um toque leve, saudável e cremoso quando a receita contém óleo de coco. Esse óleo tem propriedades anti-inflamatórias ao organismo, nutrindo e hidratando ele, fortalecendo o sistema imunológico e aumentando a capacidade antioxidante do organismo. Uma ótima opção de gordura saudável para se adicionar nas receitas!


>> Cosméticos

Além de ser um hidratante corporal seguro e que pode ser misturado a óleos essenciais e trazer benefícios para a saúde da pele, o óleo de coco é um ótimo demaquilante e pode exercer a função de esfoliação da pele - se misturado a borra de café. Em tempos de temperaturas muito baixas ou elevadas, o óleo de coco também é um ótimo hidratante labial. Se misturado a óleos essenciais bactericidas (como o óleo essencial de melaleuca) e bicarbonato de sódio, o óleo de coco exerce a função de desodorizar e ao mesmo tempo hidratar as axilas.


>> Higiene bucal

Como citado anteriormente, o óleo de coco é um adjuvante eficaz no tratamento da placa bacteriana dentária e da gengivite causada pela placa.



Receitas com Óleo de Coco


Podemos usufruir de seus benefícios e os somar com óleos essenciais, utilizando o óleo de coco como óleo carregador.



>> Hidratante Pós Sol


Ingredientes:

  • 2 colheres de sopa de óleo de coco*

  • 4 gotas de óleo essencial de lavanda francesa*

  • 1 gota de óleo essencial de gerânio*

Em um frasco limpo misture o óleo vegetal e os óleos essenciais e aplique sobre o corpo. Uma sinergia regeneradora, cicatrizante e hidratante para nutrir a pele queimada do sol. Pode ser utilizada em outras queimaduras também. Ele pode também ser utilizado como hidratante corporal puro ou em sinergias com outros óleos essenciais para potencializar seus efeitos.


>> Demaquilante


Para quem tem a pele sensível, o óleo de coco pode ser um ótimo aliado na hora de retirar o "make". Além de ajudar a retirar a maquiagem, ele acalma a pele e evita qualquer irritação. Pode aplicar ele puro sobre a pele ou com algum óleo essencial (como o óleo essencial de alecrim que é um tônico natural) com a ajuda dos Ecodiscos de algodão da Vegalótus para um ritual de autocuidado sem lixo. Eles são discos de crochet reutilizáveis feitos para substituir os algodões descartáveis.


>> Pasta Dental


A receita para a criação da pasta de dentes pode variar de pessoa para pessoa, no entanto, a lista de ingredientes bem como as instruções são geralmente parecidas, e suas próprias alterações são bem vindas.


Ingredientes

  • 6 colheres (de sopa) de óleo de coco*

  • 2 colheres (de sopa) de bicarbonato de sódio

  • 4 gotas de óleo essencial de menta piperita*

  • 1 gota de óleo essencial de cravo*

  • 3 colher (de chá) de estévia ou xilitol*

Opcional: gengibre em pó, açafrão em pó, canela em pó



Como fazer


• Misture o bicarbonato de sódio com o óleo de coco em um recipiente pequeno até formar uma pasta. Se preferir, aqueça o óleo de coco para ficar mais fácil de misturar.

• Adicione o óleo essencial e/ou adoçante natural escolhido. Misture.

• Despeje em um frasco de vidro com tampa.

Boa higiene bucal!



>> Cabelos


Pré-xampu: Passe nos cabelos antes de lavar, para retirar as impurezas e ajudar na hidratação. Esse truque é especialmente bom para quem tem cabelos crespos, que são naturalmente mais ressecados.



Caspa: Hidrata o couro cabeludo e, com isso, ajuda a aliviar os sintomas da caspa. O óleo de coco ajuda a controlar a secreção de óleo a partir do couro cabeludo, uma das principais causas da caspa

Ingredientes:

  • 2 colheres de sopa de óleo de coco*

  • 2 gotas de óleo essencial de copaíba*

  • 1 gota de óleo essencial de alecrim*

  • 1 gota de óleo essencial de limão siciliano*

Misturar em um frasco limpo e aplicar no couro cabeludo. Você pode utilizar antes de dormir e manter no couro cabeludo por algumas horas ou antes de tomar banho. Aplique a cada 3 dias até sentir uma melhora.



Umectação: A umectação com óleo de coco é uma das maneiras mais tradicionais de usar este produto no cabelo. Afinal, a umectação é um procedimento feito com óleos, e o de coco se tornou o favorito para esse tratamento devido ao seu alto poder de nutrição e absorção pela fibra capilar.


Passo 1: com os cabelos sujos e secos, antes de lavar, comece aplicando o óleo do coco mecha a mecha. Se os seus fios são mais finos e lisos, evite aplicar muito produto na raiz, assim você evita a oleosidade excessiva.


Passo 2: com os cabelos úmidos de aplicação do óleo, massageie delicadamente as mechas ao longo do comprimento e nas pontas. Esse é o momento de espalhar bem o produto ao longo de todo o cabelo.


Passo 3: após a aplicação do óleo, o produto deve ficar um tempo no cabelo para agir nos fios, por isso, prenda o cabelo em um coque baixo, e se preferir, coloque uma touca.


Passo 4: quanto mais tempo o óleo permanecer em contato com o cabelo, mais a fibra vai absorver seus nutrientes. Por isso, dependendo do produto com óleo de coco escolhido, algumas pessoas deixam agir durante toda a noite. O recomendado é deixar agir por, no mínimo, 40 minutos.