Dica Saudável | Imunidade em foco | A energia das plantas e suplementos naturais para fortalecimento



A energia das plantas e suplementos naturais no fortalecimento da imunidade


Ser imune é estar protegido. O nosso sistema imunológico tem essa função: é a defesa natural que o corpo tem para lutar contra agentes nocivos que causam infecções e doenças. Portanto, se ele estiver enfraquecido, a capacidade de defesa do nosso corpo diminui e nos tornamos mais vulneráveis ​​a certas doenças. A melhor forma de fortalecer o sistema imune e fazê-lo responder bem frente a microrganismos invasores é por meio da alimentação e prática de hábitos saudáveis.



Mas o que é de fato nosso sistema imunológico?


O sistema imunológico humano (ou sistema imune, ou ainda imunitário) consiste numa rede de células, tecidos e órgãos que atuam na defesa do organismo contra o ataque de invasores externos. Estes invasores podem ser microrganismos (bactérias, fungos, protozoários ou vírus) ou agentes nocivos, como substâncias tóxicas (ex. veneno de animais peçonhentos). As substâncias estranhas ao corpo são genericamente chamadas de antígeno. Os antígenos são combatidos por substâncias produzidas pelo sistema imune, de natureza proteica, denominadas anticorpos, que reagem de forma específica com os antígenos.


Quando o sistema imune não consegue combater os invasores de forma eficaz, o corpo pode reagir com doenças, infecções ou alergias.



E como o sistema imunológico funciona?


A defesa corporal é realizada por um grupo de células específicas que atuam no processo de detecção do agente invasor, no seu combate e total destruição. Todo este processo é denominado de resposta imune.


As células do sistema imune pertencem a dois grupos principais, os linfócitos e os macrófagos.


A inflamação é a forma que o sistema imunológico utiliza para enfrentar as infecções causadas por bactérias, fungos, vírus, protozoários ou príons. Ele detecta as partículas que são prejudiciais à saúde e, em resposta à sua invasão, reage atacando e as destruindo. A inflamação diminui apenas quando a ameaça desaparece.



Veja abaixo as células principais desse sistema e as principais funções de cada uma delas:


Macrófagos – são importantes na regulação da resposta imune. Estão presentes nos tecidos conjuntivos e no sangue (quando são chamados de monócitos) e, no sistema imune, possui a função de detectar e fagocitar (processo que engloba e digere substâncias no organismo) microrganismos invasores, células mortas e vários tipos de resíduos. Essas células são as primeiras a perceber a presença de agentes invasores.


Linfócitos - essas células, presentes no sangue, são um tipo de leucócito (glóbulo branco) e podem ser de três tipos principais:


Linfócitos B – a principal função desse tipo celular é a produção de anticorpos, quando maduros e ativos. Nesta fase são denominados plasmócitos.


Linfócitos T auxiliadores (CD4) – através de informações recebidas pelos macrófagos, são estimuladas a ativar outros tipos de linfócito T, os linfócitos T matadores (CD8) e os linfócitos B. São os linfócitos auxiliadores os responsáveis por comandar a defesa do organismo.


Linfócitos T matadores (CD8) – recebem este nome por serem responsáveis pela destruição de células anormais, infectadas ou estranhas ao organismo.


O sistema imunitário é composto por dois grupos de órgãos, os órgãos imunitários primários e os órgãos imunitários secundários. Os primeiros são assim denominados por serem os principais locais de formação e amadurecimento dos linfócitos. Já os segundos, são secundários por atuarem no sistema imunológico após a produção e amadurecimento dos linfócitos. Veja quais são os órgãos que compõem esses dois grupos:



Órgãos imunitários primários


Medula óssea – além da produção de células sanguíneas e plaquetas, a medula produz linfócitos B, linfócitos matadores. É nesse órgão que ocorre o processo de amadurecimento dos linfócitos B.


Timo – o timo é responsável por produzir linfócitos T maduros.



Órgãos imunitários secundários


Linfonodos – estão presentes nos vasos linfáticos; neles a linfa é filtrada, permitindo que partículas invasoras sejam fagocitadas pelos linfócitos ali presentes.


Tonsilas – possuem função semelhante aos linfonodos. Estão localizadas na parte posterior da boca e acima da garganta.


Baço – o baço filtra o sangue para remover microrganismos, substâncias estranhas e resíduos celulares, além de produzir linfócitos.


Adenoides – constituem de uma massa de tecidos linfoides protetores localizados no fundo da cavidade nasal. Têm como função ajudar a proteger o organismo de bactérias e vírus causadores de doenças transmitidas pelo ar.


Apêndice cecal – é uma pequena extensão tubular localizada no ceco, primeira porção do intestino grosso. Através da atuação das bactérias presentes nessa estrutura, microrganismos invasores são combatidos.



Sistema imunológico em ação


Um agente invasor, ao entrar no organismo, gera um mecanismo de defesa, a resposta imune. As substâncias invasoras são detectadas pelos macrófagos, que irão atuar em sua digestão parcial e na comunicação aos demais componentes do sistema imune da invasão sofrida, para que essas substâncias sejam totalmente destruídas e eliminadas. Após a atuação dos macrófagos, os linfócitos T auxiliadores entram em ação, ligando-se aos antígenos invasores. Este processo estimula a produção, pelos leucócitos, de compostos denominados interleucinas, que atuarão na ativação e estímulo para a produção de mais linfócitos T auxiliadores. Estes novos linfócitos intensificarão o combate aos antígenos e liberarão outros tipos de interleucinas, que estimularão a produção de linfócitos T matadores e linfócitos B. Depois de estimulados, estes linfócitos se multiplicam até que os antígenos sejam desativados e eliminados.


Parte dos linfócitos produzidos é armazenada, estes são um tipo de linfócito especial, denominados de células de memória. Estas guardam durante anos, ou pelo resto da vida, a capacidade de reconhecer agentes infecciosos com os quais o organismo já se deparou. Havendo um novo ataque por agentes conhecidos, as células de memória são estimuladas a se reproduzir, dando início ao processo de defesa do organismo, em um curto intervalo de tempo.



Porque o sistema imunológico é importante?


Diariamente o corpo humano é exposto a muitos micro-organismos causadores de doenças. Estes micro-organismos podem vir tanto do ambiente, como, por exemplo, quando ficamos em lugares muito fechados, como dos alimentos que ingerimos e que não foram higienizados corretamente. Além disso, o ritmo de vida acelerado, estresse, má alimentação e sedentarismo são fatores que cada vez mais fazem parte do estilo de vida moderno e que podem diminuir as nossas defesas. Mudanças de temperatura aliadas a uma baixa imunidade, podem fazer com que aparecem sintomas de: sinusite, resfriados e gripes normalmente seguidos de febre, indisposição e dores.


Muitos desses males podem ser combatidos quando se tem uma boa imunidade. O sistema imune do nosso corpo é responsável por nos proteger de diversas infecções provenientes das mais diferentes fontes. Ter uma imunidade fortalecida não é só importante no inverno, mas também durante todo ano e ao longo da vida.



O que fazer para turbinar a imunidade?


Além dos alimentos que aumentam a imunidade, como os ricos em proteínas, minerais, carboidratos e lipídios, outros hábitos considerados saudáveis são importantes para o aumento ou manutenção de uma boa imunidade:


  • ter uma boa higienização diária;

  • ter um sono de qualidade;

  • manter o corpo hidratado;

  • evitar o consumo de bebidas alcoólicas, frituras e comidas processadas;

  • evitar o estresse prolongado;

  • fazer exercício regularmente;

  • se expor ao sol pelo menos 15 minutos por dia.


Um corpo fraco é mais susceptível a doenças, por isso hoje na Dica Saudável trouxemos medidas simples que ajudam a manter uma vida saudável. É importante lembrar que o corpo e a mente estão ligados, de forma que além e seguir as dicas acima é preciso dar atenção também ao estresse e tensão que acontecem no dia a dia.



Óleos essenciais para elevar a imunidade


A adição de óleos essenciais à sua rotina diária pode ajudar seu corpo a reparar células e remover resíduos tóxicos do corpo.



Óleo Essencial De Canela


O óleo essencial de casca de canela provou ser um dos antibacterianos e antivirais mais poderosos entre os óleos essenciais.


Você pode usar no difusor em toda a casa e em limpeza de spray de receitas para manter superfícies livre de bactérias.


Basta adicionar 20 gotas a um borrifador de água (150ml), agitar bem e borrifar superfícies como maçanetas, bancadas, geladeira, pias, pisos, por exemplo.


Borrifar essa mistura é importante, pois, quanto menos germes para o seu corpo lidar enquanto estiver doente ajudarão você a se recuperar mais confortavelmente. Assim, evitará que outras pessoas em sua casa fiquem doentes também e ajuda no controle da imunidade.



Óleo Essencial De Cravo


Óleo essencial de cravo é uma das substâncias mais antioxidantes na terra. E por isso, tem muitas aplicações para a saúde bucal .


Para resfriados e gripes, por exemplo, este óleo essencial é um ótimo complemento para o gargarejo caseiro, devido às suas fortes propriedades antibacterianas, antivirais e anti-inflamatórias.


O cravo também ajudará a entorpecer e a aliviar a dor de garganta. Além disso vai aumentar a imunidade.


O cravo é tão poderoso que até consegue combater muitas bactérias resistentes a fármacos. Por isso, é perfeito para doenças resistentes como o estreptococo.


Você também pode usar óleo essencial de cravo como um expectorante para tosse, sinusite, assim como asma e bronquite.



Óleo Essencial De Eucalipto


O eucalipto é conhecido por sua capacidade de apoiar a saúde respiratória superior e interromper o congestionamento .


É também anti-inflamatório para os pulmões. Por isso, é um óleo essencial perfeito para uso em saunas, em banhos quentes, assim como em receitas de vapor facial e em concha no rosto durante resfriados e gripes, onde há muco presente.


O eucalipto aumenta a imunidade, além disso, também estimula seus anticorpos para ajudar a combater infecções.


O óleo pode ser usado como transportador em uma massagem no peito para suportar a respiração normal. Também é muito revigorante colocar 1 gota nas mãos, esfregá-las, colocar as mãos sobre o nariz e a boca e respirar.


Por fim, você pode aumentar a imunidade com óleos desintoxicantes de eucalipto combinando com outros óleos. Ao adicionar algumas gotas junto com óleo de limão, hortelã-pimenta, ou lavanda além de aumentar a imunidade, será ótimo para difundir e apoiar o sistema respiratório.


Você pode também adicionar ao seu spray de ambiente algumas gotas de óleo de eucalipto.



Óleo Essencial De Lavanda


Óleo essencial de lavanda tem um aroma calmante, o que o torna um excelente tônico para os nervos.


Portanto, ajuda no tratamento de enxaquecas, dores de cabeça, ansiedade, depressão, tensão nervosa e estresse emocional .


O aroma refrescante remove o esgotamento nervoso, assim como a inquietação. Além disso, aumenta a atividade mental.


Outro benefício desse óleos essencial é que ele é ótimo para digestão, sono e até alívio da dor.


Coloque duas gotas nos punhos duas vezes ao dia para apoiar as glândulas supra-renais. Ou aplique nas solas dos pés antes de dormir.



Óleo Essencial De Limão


Você também pode aumentar a imunidade com óleos desintoxicantes de limão. O óleo essencial de limão é um fantástico tônico linfático, o que significa que ajuda o seu corpo a remover os resíduos celulares do corpo durante o frio e a gripe .


O sistema linfático é responsável por enxaguar esses resíduos para que suas células possam ter um ótimo desempenho.


Aplicando 2-3 gotas de limão diluído em 1 colher de chá de óleo de transportador e aplicado na parte de trás do pescoço enquanto doente é uma ótima maneira de estimular a drenagem linfática.


Você pode até usar isso como uma massagem corporal, assim como usar com um pincel seco. Tenha em mente que você não deve estar sob a luz direta do sol, se você fizer isso, porque você vai queimar!


O óleo essencial de limão difuso também reduzirá bastante a náusea.



Óleo essencial de hortelã


O aroma do óleo essencial de Hortelã Pimenta, de nome científico Mentha Piperita é familiar e agradável à maioria das pessoas.Foram feitos estudo que demonstraram que o óleo essencial de Hortelã-pimenta tem atividade antimicrobianas e antivirais significativas. Também tem propriedades antioxidantes,ações anti-tumorais, antialérgicos e analgésicos.


Com uso diário evita gripes e resfriados comuns, e sua ação anti-inflamatória impede as crises de alergia associadas à inflamação das vias respiratórias.