Dica Saudável | Óleos Essenciais | Formas de Uso e Sinergias.


COMO SE BENEFICIAR DOS ÓLEOS ESSENCIAIS OU FORMAS DE APLICAÇÃO DOS ÓLEOS ESSENCIAIS.



Os óleos essenciais são extratos de plantas. Possuem inúmeros benefícios, podem ser imunoestimulantes, sedativos, calmantes, antidepressivos, bactericidas ou até melhorar nosso humor. Eles estão presentes nas plantas em pequenas concentrações em percentuais diferentes para cada variedade. Podem ser encontrado nas folhas, nas raízes, no caule, nos frutos, nas flores e sementes!


Vamos supor que em média seja em torno de 1% de óleo essencial por quilo de planta, teríamos então para cada litro de óleo essencial o equivalente a 100kg de material vegetal. Ou seja, são substâncias muito concentradas que carregam a alma da planta, podendo concentrar em média mil vezes mais benefícios do que um extrato. Essa primeira reflexão é importante para uma boa aplicação e uso seguro dos óleos essenciais, sendo para cada forma de aplicação indicadas diluições que merecem uma boa atenção. Mesmo sendo substâncias naturais, devemos sempre lembrar dos ensinamento de Paracelso, médico e físico do século XVI, “A diferença entre um remédio e um veneno está na dose”.


Dados:

Óleo essencial de rosas 140g de pétalas por gota

Oleo essencial de capim limão 4g por gota

Oleo essencial de gerânio 20g por gota

Fonte: Fernando Amaral.


O processo de beneficiamento do vegetal onde extraímos o óleo essencial pode ser feito por prensagem a frio, por destilação arraste a vapor ou hidrodestilação. Como coproduto nos dois últimos processos, temos as maravilhosas águas vegetais, conhecidas também como água thermal ou hidrolato que contém em sua composição compostos aromáticos originais da planta!

A diferença entre o hidrolato e o óleo essencial está relacionada a sua concentração. Por serem soluções naturalmente diluídas com óleos essenciais, podem ser utilizados diretamente sobre a pele do corpo, rosto e no ambiente! O óleo essencial é um produto altamente concentrado, podendo aproximar a 1 gota de óleo essencial equivale a 25 xicaras de chá da planta (depende de variedade para variedade), por esse motivo é recomendado a sua diluição. No caso do hidrolato, ele contém toda a essência da planta, porém se apresenta de uma forma mais suave, onde uma colher de sopa corresponde a 15 xícaras de chá da planta.


Um óleo essencial é um conjunto de substâncias químicas que pode variar de 20 a mais de 200 substâncias diferentes. A complexidade química dos OE é o que explica sua grande ação terapêutica, sendo muito versátil e podendo ser usados em diversos tratamentos, dos cabelos aos pés. Muito mais do que apenas um cheirinho agradável, os OE tem eficácia comprovada em muitos estudos realizados no mundo todo. É importante lembrar que são substancias muito concentradas, devendo ter cuidado para não haver intoxicação ou alergia devido ao uso inadequado.


Pensando nisso, desenvolvemos essa Dica Saudável como uma referência de como se beneficiar dessas substâncias com tantos benefícios a nossa saúde! Ao conjunto das técnicas de aplicação dos óleos essenciais da-se o nome de “aromaterapia”. A aromaterapia é uma prática holística, enxergando os aspectos de saúde e beleza não apenas como aspectos físicos, mas também como resultado de desequilíbrios energéticos e emocionais. Alinhar uma visão holística ao tratamento é buscar beneficiar todo o organismo e não somente a parte afetada.


Cuidados gerais ao usar os óleos essenciais:

- Conhecimento de suas propriedades e indicações de utilização. Por exemplo, os óleos essenciais cítricos, em geral, quando aplicado na pele são fotossensíveis e a exposição ao sol só pode após 6h da aplicação.

- Adquirir produto de fornecedor confiável. As propriedades terapêuticas que iremos citar só estão presente em óleos essenciais 100% puros. Na Boaformula você encontra os óleos essenciais e hidrolatos da WNF, Bioessencia e Terraflor.

- É indicado que se diluía os óleos essenciais, sendo os óleos vegetais os melhores veículos para diluir quando for aplicar na pele.

- É indicado que seja armazenado em embalagem de vidro âmbar, ao abrigo de luz, umidade e calor e bem fechados! Por serem substancias voláteis, evaporam com facilidade.

- Especial cuidado ao usar óleos essenciais em peles sensíveis, crianças e gestantes.



As formas de se beneficiar dos óleos essenciais podem ser dividas em 2 grandes grupos:


>> Difusão Aérea/Inalação: difusor elétrico de tomada, difusor a vapor, difusor pessoal, difusor a vela, aromatizador.


>> Aplicação tópica: Contempla o uso de óleos essenciais em cremes, óleos vegetais, shampoo, sabonetes e outros cosméticos.



Inalação/Difusão Aérea : Aromas são como mensagens


Os óleos essenciais são substâncias voláteis que se dispersam no ar e são percebidas por nós através do olfato. O efeito aromático dessas substancias é enfatizado quando usamos através de vaporizações, gotas no travesseiro, saches, velas aromáticas, inalação e difusão aérea. Através desses processos, podemos dizer que nós dispersamos as moléculas de óleo essencial no ar para poder agarrar ela através da respiração. É a forma mais tradicional da aromaterapia.

O olfato é um dos sentidos que mais produz efeitos psicológicos no organismo. Os aromas podem nos remeter a lembranças e sensações. Temos algo dentro de nós que podemos dizer que são arquivos olfativos, onde os cheiros podem nos lembrar de pessoas, lugares e momentos que vivemos. Com a aromaterapia, utilizamos esses aromas de forma consciente e intencional, podendo estimular sensações de alegria, relaxamento, bem estar e disposição!Em um ambiente de trabalho, podemos nos beneficiar do óleo essencial de alecrim e hortelã pimenta no difusor eletrico, que traz foco e concentração, por exemplo. Para uma noite tranquila de sono, podemos pingar 2 gotinhas de óleo essencial de lavanda no travesseiro. As possibilidades são diversas.


Caminho Respiratório: a respiração significa vida em todos os sentidos. Ela nutre o corpo com ar enriquecido de oxigênio, elemento vital para a existência do ser humano.


>> Como sentimos os óleos essenciais pela inalação?


“O nariz alem de sua função como órgão do sentido olfativo, também é um órgão respiratório e a disposição do corpo inteira por sua “nutrição”com ar. Desse ponto de vista, a respiração é “nutrição de substancia fina” do corpo e os sinus paranasais também executam esta função, apresentando “espaços de reabsorção” para substancias gasosas (substâncias aromáticas). Podemos dizer que os ossos do viscerocranio circundam a corrente respiratória, agarram-na em forma de cavidades, para receber a “mensagem” de suas misturas aromáticas, na forma de reabsorção.


Cheira não pode ser separado de respirar. Ninguém pode cheirar sem respirar; e cheirar sempre inclui uma aeração e esvaziamento dos sinais paranasais!

Cheirar é nutrição de substância fina, um agarrar da corrente respiratória. E esse órgão de sentido tem conexão direta com os centros cerebrais da emoção (mesencéfalo), com o hipotálamo. .” DIETRICH GUMBEL


As fibras nervosas presentes em nossos bulbos olfatórios se estendem até nosso hipotálamo. Esses aromas que atuam como mensagens influenciando assim diretamente na psique e metabolismo do ser humano. O Biólogo e geógrafo DIETRICH GUMBEL conclui que: “ Isso significa que todas as substancias olfativas ativas que percebemos consciente ou inconscientemente funcionam em nosso corpo como hormônio, portanto elas são chamadas, por comparação com os hormônios internos(endo hormônios), de ecto hormônios. Substâncias olfativas estimulam nosso corpo, nossa psique e nossa mente. A aromaterapia, terapia pelas substancias olfativas, alicerça-se nisso.”


Quando inalados, os sinais aromáticos alcançam diversas regiões celebrais, entre elas tamém podemos destacar o sistema límbico (do Latim limbus que quer dizer fronteira) localizado no centro do cérebro ele é responsável pela memória olfativa e pelas emoções, como: medo, raiva, prazer, alegria, afeto e outros. Atua também como centro despertador e controlador do desejo sexual e da fome.


O sistema límbico lida com a parte do cérebro responsável por regular os sentimentos, emoções, memória, aprendizagem e energia físicas, a absorção dos óleos essenciais através do sistema límbico dispara neuroquímicos que podem ser sedativo, relaxante, estimulante, ou de efeito eufórico.


Os difusores são peças capazes de propagar os óleos essenciais no ambiente sem alterar sua propriedade natural, sendo elaborados de maneira a se integrarem à decoração do ambiente. Existem difusores de diversos materiais, como vidro, metal, madeira e cerâmica. Na Boaformula você encontra os modelos mais indicados para usufruir da Aromaterapia em sua casa ou onde você for!


>> Difusor elétrico de tomada: O difusor elétrico de tomada, de cerâmica esmaltada de preferência, possuem um recipiente para colocar água e algumas gotas óleo essencial (no máximo 10). Tem a vantagem de gerar uma fonte de calor mais constante e adequada para óleos essenciais.


>> Difusor pessoal : Também conhecido como difusor a frio, possuímos a opção em cerâmica usado na forma de difusores pessoais, como pingentes. Possuem um orifício onde é indicado colocar um pouquinho de algodão e nele pingar 1 a 2 gotas de óleos essenciais que são liberados com o calor do nosso corpo ao ambiente sem necessidade de uma fonte de calor artificial.


>> Difusor a vapor :Já os difusores elétricos a vapor não só aromatizam o ambiente como melhoram a qualidade e a umidade do ar. Os modelos que você encontra na Boaformula possuem tecnologia ultrassônica, que fragmenta a solução de água e óleos essenciais em micropartículas de vapor frio, preservando assim as propriedades terapêuticas dos óleos. É um investimento bem mais alto, mas compensa. Atenção! Sempre que for comprar um difusor, observe que ele seja especifico para Aromaterapia, já que os óleos essenciais podem corroer o plástico dos difusores a vapor convencionais.

*Os difusores devem sempre ser posicionados abaixo da linha do olfato e no local mais afastado de correntes de ar de portas e janelas.



Aplicação tópica: Corrente sanguinea


Nos cuidados corporais, podemos aproveitar os benefícios dos OE de variadas maneiras: massagens, fricções, banhos, compressas ( quentes ou frias, com água ou com argilas), escalda pés, em cosméticos, como perfume natural, bochechos e gargarejos, banhos de assentos, etc. Esse tipo de aplicação proporciona um efeito local imediato e fisiológico, já que as moléculas dos óleos essenciais são pequenas o suficiente para serem absorvidas pela pele e caírem nos sistemas circulatórios sanguíneo e linfático, chegando às células rapidamente. Aliada a isso temos sempre a influencia por inalação dos óleos essenciais, percebemos isso quando aplicamos alguma formulação contendo essas moléculas e sentimos os aromas.

Caminho cutâneo (pele): Atuam desde a extensão mais superficial (pele) até as estruturas mais profundas do corpo humano.


>> Como sentimos os óleos essenciais pela aplicação tópica?


“Os óleos essenciais penetram na pele através dos dutos das glândulas sudoríparas. A maioria dos componentes de um óleo essencial é lipossolúvel, o que facilita a penetração do óleo pelo organismo.


Uma vez absorvidos pela epiderme, os óleos são gradualmente liberados para a derme. Na derme, as moléculas de óleo essencial penetram nos vasos sanguíneos e são transportados para todo o organismo promovendo cura, equilíbrio e ajuda na manutenção da homeostasia do corpo – processo de regulação pelo qual o corpo mantém-se equilibrado proporcionando assim bem-estar geral.” Daiane petry


>> Observações importantes sobre diluição dos óleos essenciais:


Óleos essenciais na forma pura não são adequados à prática de massagem, eles devem ser diluídos em um veiculo base para essa finalidade. Os óleos vegetais e creme neutro são os mais indicados para esse esse uso.

  • 2 a 6 anos : 0,25% de diluição (1 gota para cada 4 colheres de chá; 1 gota a cada 20 ml de óleo carreador). Não há problema em usar óleos essenciais se for devidamente diluído para crianças nessa faixa etária. Respeitar as contraindicações dos óleos essenciais para crianças. Dar preferência a utilização das ervas (infusão decocção) pela menor concentração química

  • Maiores de 6 anos de idade, mulheres grávidas, idosos e também, pessoas que podem ter pele sensível ou outros problemas sérios de saúde. 1% de diluição (1 gota por colher de chá de óleo transportador; 6 gotas a cada 30 ml)

  • Adulto saudável: 2% de diluição (2 gotas por colher de chá de óleo transportador; 12 gotas a cada 30 ml)

  • Óleos vegetais mais adequados para pequenas áreas do corpo: argan, rosa mosqueta, copaíba e jojoba.

  • Óleos vegetais mais adequados para grandes áreas do corpo ou corpo inteiro: abacate, amêndoas doce, girassol, macadamia e semente de uva.



Vamos conhecer algumas Sinergias?


A massagem é uma prática muito interessante de juntar com a aromaterapia. Se na área sobre a qual o óleo essencial foi aplicado é massageada, a absorção aumenta pelo efeito do fluxo sanguíneo, que é aumentado pela massagem. Separamos algumas sinergias para você colocar em prática esses conhecimentos e trazer os benefícios terapêuticos e medicinais dos óleos essenciais ao seu dia a dia! Muito confortantes e prazerosas a massagem compõem a técnica mais difundida no meio terapêutico atuando de forma física e emocional. Hoje iremos usar como veículo os óleos vegetais que vem agregar com suas propriedades nas sinergias. Junto a cada uma segue uma breve descrição de suas propriedades e fica o convite para você pesquisar e estudar para o uso consciente delas.


>> O que é sinergia?


Trata-se da mistura harmônica de mais de um óleo. Com a sinergia, obtém-se um novo aroma. Há diversos óleos essenciais e com inúmeras possibilidades de combinações. Além disso, a interação potencializa os princípios ativos e permite um tratamento mais preciso e adequado.


Sugestão de leitura complementar aqui.



>> Vamos às receitas?



Anti depressivo

  • 30ml de óleo vegetal de abacate

  • 4 gotas de óleo essencial de Ylang Ylang

  • 4 gotas de óleo essencial de tangerina.