Alopecia Androgenética | Conheça Androtase™

Atualizado: 15 de mar. de 2021



Alopecia Androgenética


O que é?

Alopecia androgenética, ou calvície, é uma forma de queda de cabelos geneticamente determinada. É relativamente frequente na população. Homens e mulheres podem ser acometidos pelo problema, que apesar de se iniciar na adolescência, só é aparente após algum tempo, por volta dos 40 ou 50 anos. Apesar do termo “andro” se referir ao hormônio masculino, na maioria das vezes os níveis hormonais se mostram normais nos exames de sangue. A doença se desenvolve desde a adolescência, quando o estímulo hormonal aparece e faz com que, em cada ciclo do cabelo, os fios venham progressivamente mais finos.


Sintomas

A queixa mais frequente na alopecia androgenética é a de afinamento dos fios. Os cabelos ficam ralos e, progressivamente, o couro cabeludo mais aberto. Nas mulheres, a região central é mais acometida, pode haver associação com irregularidade menstrual, acne, obesidade e aumento de pelos no corpo. Porém, em geral, são sintomas discretos. Nos homens, as áreas mais abertas são a coroa e a região frontal (entradas).


Prevenção

Alopecia androgenética é uma doença genética, mas alguns fatores podem piorar o problema, como, por exemplo, a menopausa e o uso de suplementação de hormônios masculinos. Exames genéticos podem identificar os pacientes com maior risco de desenvolver a doença. Entretanto, não há como evitar totalmente o desenvolvimento da alopecia sem o tratamento adequado.


Tratamentos

Baseia-se em estimulantes do crescimento dos fios e em bloqueadores hormonais. O objetivo do tratamento é estacionar o processo e recuperar parte da perda. Os bloqueadores hormonais são medicamentos via oral. Nos casos mais extensos, um transplante capilar pode melhorar o aspecto estético.



Conheça Androtase™

Blend de diferentes espécies botânicas padronizado

em 50% de β-Sitosterol


Alopecia Androgenética


A alopecia androgenética é caracterizada pela miniaturização estrutural de folículos pilosos sensíveis à andrógenos em indivíduos suscetíveis. Um fator que contribui para essa desordem é a conversão da testosterona em di-hidrotestosterona (DHT) através da ação da enzima 5α-redutase.




β-Sitosterol


Estudos demonstraram que formulações fitoterápicas contendo ingredientes inibidores da enzima 5αredutase, como o β-Sitosterol, podem ser terapias úteis como coadjuvantes no tratamento da alopecia androgenética.



Androtase™ – β-Sitosterol 50%


É um extrato vegetal do pólen de Secale cereale, Phleum pratense, Zea mays e da casca do Pinus pinaster padronizado em β-Sitosterol > 50%. Desenvolvido para melhorar os sintomas relacionados ao aumento da próstata, melhorando a saúde e bem-estar do homem. O β-Sitosterol atua como um inibidor da 5α-redutase, bloqueando a conversão de testosterona para di-hidrotestosterona, reduzindo o aumento da próstata. Também atua como um α-bloqueador, melhorando os sintomas urinários. Sua potente ação anti-inflamatória atua inibindo a proliferação de células prostáticas neoplásicas. Os resultados são geralmente observados em 4 semanas de uso.



Componentes


Pólens: Secale cereal, Phleum pratense, Zea mays

Entre seus compostos destacam-se proteínas, carboidratos, vitaminas, minerais e β-Sitosterol. Diversos mecanismos de ação têm sido propostos para os extratos de pólen incluindo: o relaxamento do músculo esfincteriano uretral, aumento da contração do músculo da bexiga, aumento da apoptose de células epiteliais da próstata, inibição da 5α-redutase, aumento dos níveis séricos e prostáticos de zinco, bloqueio de receptores alfa-adrenérgicos, inibição de prostaglandinas e biossíntese de leucotrienos.


Pinus pinaster

Contém diterpenos, cumarinas, flavonoides, vitamina C e seus óleos essenciais apresentam propriedades antissépticas. Seu principal componente ativo é o β-Sitosterol.



Androtase™

Formulação


Suplementação Coadjuvante na Alopecia Androgenética

Androtase™ (β-Sitosterol > 50%) 300 mg

Cápsula Vegetal 1 un

Posologia: Administrar 1 cápsula ao dia



Referências

1. Dossiê Técnico do Fabricante.

2. ALLKANJARI O, et al. What do we know about phytotherapy of benign prostatic hyperplasia?Life Sci. 2015 Apr 1;126:42-56.

3. BARRY MJ, et al. Benign prostatic hyperplasia. BMJ. 2001 Nov 3;323(7320):1042-6. Erratum in: BMJ 2002 Mar 30;324(7340):775.

4. BERGES RR, et al. Randomised, placebo-controlled, double-blind clinical trial of beta-sitosterol in patients with benign prostatic hyperplasia. Beta-sitosterol Study Group. Lancet. 1995 Jun 17;345(8964):1529-32.

5. CICERO AFG, et al. Nutraceutical treatment and prevention of benign prostatic hyperplasia and prostate cancer. Arch Ital Urol Androl. 2019 Oct 2;91(3).

6. DHARIWALA MY, et al. An overview of herbal alternatives in androgenetic alopecia. J Cosmet Dermatol. 2019 Aug;18(4):966-975.

7. DIZEYI N, et al. The effects of Cernitin® on inflammatory parameters and benign prostatic hyperplasia: An in vitro study. Phytother Res. 2019 Sep;33(9):2457-2464.

8. KLIPPEL KF, et al. A multicentric, placebo-controlled, double-blind clinical trial of beta-sitosterol (phytosterol) for the treatment of benign prostatic hyperplasia. German BPH-Phyto Study group. Br J Urol. 1997 Sep;80(3):427-32.

9. NICHOLS AJ, et al. An Open-Label Evaluator Blinded Study of the Efficacy and Safety of a New Nutritional Supplement in Androgenetic Alopecia: A Pilot Study. J Clin Aesthet Dermatol. 2017 Feb;10(2):52-56. Epub 2017 Feb 1.

10. PRAGER N, et al. A randomized, double-blind, placebo-controlled trial to determine the effectiveness of botanically derived inhibitors of 5-alpha-reductase in the treatment of androgenetic alopecia. J Altern Complement Med. 2002 Apr;8(2):143-52.

11. STEENKAMP V. Phytomedicines for the prostate. Fitoterapia. 2003 Sep;74(6):545-52.

12. TOGO Y, et al; Japanese Research Group for Urinary Tract Infection (JRGU). Oral administration of cernitin pollen extract (Cernilton® ) for 30 days might be useful to avoid unnecessary biopsy in prostate biopsy candidates: A preliminary study. Int J Urol. 2018 May;25(5):479-485.

13. USTUNER ET. Cause of androgenic alopecia: crux of the matter. Plast Reconstr Surg Glob Open. 2013 Nov 7;1(7):e64.

14. YASUMOTO R, et al. Clinical evaluation of long-term treatment using cernitin pollen extract in patients with benign prostatic hyperplasia. Clin Ther. 1995 Jan-Feb;17(1):82-7.

Site da Sociedade Brasileira de Dermatologia

https://www.sbd.org.br/dermatologia/cabelo/doencas-e-problemas/alopecia-androgenetica/25/




A sua saúde em boas mãos.

1.207 visualizações0 comentário