Conheça o Composto Vegetal Energético




A sensação de falta de disposição e de energia é muito comum, especialmente nos tempos atuais, em que as pessoas estão atarefadas durante a maior parte do dia, sob estresse da pandemia e muitas vezes comendo mal e não se exercitando.


As vezes é normal sentir falta de disposição e energia, desde que em um nível moderado. Contudo, há situações em que a falta de energia é excessiva, o que compromete a saúde e bem estar. Nesses casos, é indicado mudar alguns hábitos de vida que possam estar lhe atrapalhando.



O que causa falta de disposição?


A falta de sono, ou sono não reparador, é um dos grandes responsáveis pela falta de disposição, mas outros hábitos podem impactar diretamente no seu ânimo para realizar as tarefas do dia a dia. Excesso de álcool, excesso de cafeína, excesso de açúcar, alimentos gordurosos, baixa ingestão de frutas/legumes/verduras e desidratação são algumas das causas de hábitos alimentares que podem causar falta de disposição. Sedentarismo e estresse são outras causas que podem agravar o desânimo. O uso de certos medicamentos também pode causar falta de energia. Por isso é muito importante sempre procurar ajuda profissional quando a falta de energia e disposição começam a afetar os seus compromissos e a sua rotina.



Para lhe ajudar, vamos falar hoje sobre o Composto Vegetal Energético!



COMPOSTO VEGETAL ENERGÉTICO


Formulação exclusiva Boaformula, para o aumento da disposição e energia física e mental diárias, de forma natural. Contém uma diferenciada combinação de Pffafia Paniculata, Alfafa, Catuaba e Guaraná.



Benefícios

  • Proporciona aumento do foco, concentração, disposição e desempenho mental;

  • Aumenta a disposição física, melhorando a performance em treinos;

  • Melhora o desempenho sexual;

  • Melhora a digestão;

  • Melhora o humor.



Vamos conhecer os ativos?


PFAFFIA PANICULATA


A Pfaffia é uma planta herbácea de ramos moles e nodosos nas articulações, que procura suporte, a Pfáffia apresenta folhas opostas, membranáceas, simples e inteiras. As flores são pequenas e surgem dos ramos terminais. A parte subterrânea é tuberosa, apresentando uma parte caule e outra raiz, que atinge porte elevado. Não tem exigência quanto ao solo e clima, crescendo nos campos, no interior das matas e ao longo dos rios. A Pfaffia é conhecida como “Ginseng Brasileiro” devido à forma humanóide que apresenta as suas raízes assim como o Ginseng Asiático é caracterizado. Também é conhecida como “Paratudo” pelos nativos das regiões mais simples e rurais, que atribuíram varias propriedades a planta. A Pfaffia paniculata, nome científico da Fáfia, pertence à família Amaranthaceae ao passo que a maioria dos outros ginsengs pertencem à família Araliaceae. Quimicamente também é diferente, embora em todas as plantas ocorram saponinas, estas possuem estruturas diferentes. O pó é obtido das raízes de Pfaffia paniculata (Amarantaceae) e contém saponinas de núcleo tritepenoide (componentes ativos) acido pfafico, pfafasidos, alantoína, estigmasterol, sitosterol, sais minerais como fósforo, cálcio, potássio, aminoácido e mucilagem.


>> Indicações


É usada como auxiliar no tratamento de distúrbios circulatórios, estresse, astenia, diabetes e como estimulante geral do organismo. Tem ação tônica geral para o organismo, cicatrizante e anti-inflamatória, irregularidades circulatórias, Estimula e tonifica o organismo, eliminando a fadiga física e mental, aliviando estados de estresse e depressão. Contribui para as funções cerebrais. Possui ação hipoglicêmica além de potencializar a ação da insulina. Fortalece o coração, melhorando o processo circulatório e aumenta o número de glóbulos vermelhos e o nível de hemoglobina. A Alantoína, presente em sua composição, possui ação cicatrizante e regeneradora celular.



ALFAFA


A alfafa é uma erva perene que possui folhas compostas, três folhas por pecíolo e recortadas com margem serreada. O caule é subterrâneo e, geralmente, composto de madeira. A alfafa cresce ate 1 metro e produz flores azuis-violeta. Este legume cresce em todo mundo sobre uma grande variedade de climas.


>> Indicações


Pela sua riqueza em nutrientes, a alfafa supre necessidades vitamínicas, minerais e proteicas, sendo excelente fonte de potássio, magnésio, fósforo e cálcio. Age nas anemias causadas por deficiência de ferro bem como nas hemorragias ocasionadas pela deficiência de potássio. A vitamina K auxilia no processo de coagulação do sangue e protege contra hemorragias. É um bom recalcificante, sendo muito utilizado nos casos de raquitismo. Se destaca também a quantidade de fitoestrógenos, o que faz desta espécie um recurso importante na abordagem de quadros de menopausa. Possui ação hipolipemiante, que está relacionada aos saponosídeos da raíz e sementes que reduz a taxa de colesterol totais. Suas enzimas facilitam a digestão e alguns autores sugerem que esta planta possui propriedades diuréticas.



CATUABA


Árvore de 10 metros de altura, apresentando ramos novos, pubescentes, que se tornam glabros com a idade. As folhas são compostas, com 5 a 7 folíolos, curtopedicelados, oblongo-elípticos, ápice acuminado, irregularmente agudo na base. As flores são branco-amareladas. A casca apresenta forma plana e levemente encurvada. A superfície externa é de cor acinzentada, variando de tons claros e escuros, com aspecto grosseiramente granuloso; apresenta lenticelas circulares pequenas e fendas longitudinais curtas e superficiais; a superfície externa é avermelhada, com fibras finamente estriadas longitudinalmente; a fratura é externamente granulosa e internamente fibrosa, o odor não é característico e sabor é fortemente amargo.


>> Indicações


A catuaba possui ação tônica e estimulante. É empregada pela população como purgativo, inseticida, antirreumático e tônico para tratamento de estresse, fadiga, déficit de memória e impotência sexual. Em modelos farmacológicos, comprovaram-se a eficácia de extratos de catuaba no tratamento de desordens depressivas, em processos inflamatórios e na produção de relaxamento muscular. Melhora a memória e evita o esgotamento mental, além de fornecer energia física e mental.



GUARANÁ


Arbusto trepador ou subereto, até 10m, originário da Amazônia brasileira e venezuelana e Guiana, o Guaraná possui uma casca muito escura; folhas compostas, alternas, grandes, recortadas e com gravinhas; flores brancas e pequenas, em forma de cacho como as da videira. É uma planta sagrada para os índios. Quando saiam para as lutas tinham o guaraná como suprimento de guerra. Durante o longo percurso que separavam as aldeias, mastigavam as sementes para aumentar sua vitalidade.



>> Indicações


O Guaraná é indicado na astenia, depressão nervosa, favorece a atividade intelectual, dispepsias, flatulências, fermentações anormais e diarréia, prevenção da arterioesclerose, tromboembolismo e cefaléias. Em Homeopatia é indicado nas cefaléias, disenteria e hemorróidas. As xantinas presentes no Guaraná são estimulantes do sistema nervoso central, onde dentre elas a cafeína é a de ação mais potente. Ao nível cortical, doses terapêuticas de 150-300 mg de cafeína, produzem um estímulo das funções psíquicas, promovendo um estado de alerta ao indivíduo, melhor associação das idéias e das atividades intelectuais, maior resistência ao cansaço e uma sensação de bem-estar. Doses mais altas podem responder aos efeitos dos barbitúricos. Ao nível bulbar, a cafeína estimula os centros localizados no bulbo, especialmente o centro respiratório. Sobre os brônquios e os bronquíolos, as xantinas produzem relaxamento da musculatura lisa. Ao nível cardiovascular são estimulantes, sendo a teofi lina a que maior exerce efeito e incrementa os batimentos cardíacos. Ao nível digestivo, todas as xantinas irritam a mucosa gástrica, podendo ocasionar náuseas e vômitos. Ao nível renal exerce uma ação diurética. Os taninos, em especial o catecol, conferem propriedades adstringentes úteis no caso de diarréia. Os extratos aquosos de Guaraná por via oral e parenteral têm demonstrado inibição da agregação plaquetária (37%) e redução da síntese de tromboxano (78%) tanto in vitro como in vivo. Estas ações demonstraram efeitos superiores aos já demonstrados pelas xantinas desse mesmo extrato, que alcançaram 31 e 50% respectivamente.



A sua saúde em boas mãos.


Fonte: Material dos Fornecedores | Fagron, Florien, Purifarma

174 visualizações0 comentário