Dica Saudável | Saúde no Prato | Torta de Mousse de Chocolate



Nós nos nutrimos de ar, água, luz e alimentos. O que ingerimos é fundamental para a nossa vitalidade. Isso se torna evidente quando nossa saúde começa a apresentar desequilíbrio ao consumirmos alimentos prejudiciais, ingerimos pouca água, ficarmos sem exercícios físicos ou sem luz do sol. Muitas doenças e mal estares são causados por uma alimentação desequilibrada e deficiente. Como isso impacta diretamente em nosso animo e nossa energia, a Dica Saudável traz receitas funcionais e saudáveis para inspirar você a entrar na cozinha e trazer mais saúde à sua vida pelo prato e, consequentemente, para o planeta também!


Não é fácil mudar hábitos alimentares, além de querer e ter força de vontade o que a gente come esta ligado a diversos fatores além da nossa casa. Nossas escolhas estão relacionadas com o local onde crescemos, a cultura desse espaço, os hábitos de nossa família, o marketing das grandes empresas que estão na TV e internet, nossa rotina influenciará no tempo que temos para dedicar a cozinha, a renda, acesso a alimentos naturais e orgânicos, acesso à informação, dentre muitos fatores. Apesar disso é muito importante se preocupar em fazer escolhas alimentares saudáveis e sustentáveis, afinal nós somos o que comemos e o meio ambiente também sofre as influências dos nossas hábitos.



Mais saúde no prato e também para o planeta


Alimentação a base de plantas

Não é tendência, é saúde. Não precisamos buscar uma alimentação perfeita, há o tipo de alimentação boa para cada pessoa. Uma coisa que não podemos negar é que uma alimentação a base de plantas é comprovada e recomendada para a manutenção de saúde do organismo. Ter um cardápio equilibrado é fundamental para manter o organismo saudável. O consumo constante de ingredientes naturais como frutas, verduras, legumes e oleaginosas promove energia e ajuda ao nosso organismo em seu metabolismo ajudando a nos proteger contra doenças.


É por isso que cada vez mais cresce o número de pessoas que desejam abandonar os velhos hábitos em busca de mais benefícios na hora da refeição. E entre as alternativas de um novo estilo de vida está a alimentação à base de plantas. O cardápio é abundante e vem com tudo que a terra dá como frutas, verduras, cereais, grãos, oleaginosas, aproveitando o alimento na sua forma natural e integral.


“É um tipo de nutrição que é considerada curativa e trata doenças como diabetes, hipertensão, colesterol alto, obesidade”, fala o médico Alberto Gonzalez. Além disso, os benefícios dessa alimentação servem como pesquisa para doenças renais, inflamatórias e neurológicas. É sobre comer comida de verdade, na forma mais natural que podemos encontrar e limpos, ou seja, sem agrotóxicos ou fertilizantes químicos nocivos a nossa saúde e ao meio ambiente.


(Imagem referência blog Comida Saudável para Todos)


“O consumo de alimentos ultraprocessados foi avaliado de acordo com a classificação proposta por Monteiro, ou seja, conforme o grau de processamento, em: alimentos não processados ou minimamente processados (grupo 1), alimentos processados utilizados como ingredientes de preparações culinárias ou pela indústria de alimentos (grupo 2) e alimentos ou produtos alimentícios ultraprocessados (grupo 3). Nessa classificação, são considerados alimentos ultraprocessados os produtos provenientes do processamento de uma mistura de alimentos dos grupos 1 e 2 desenvolvidos com o intuito de criar produtos alimentares pré-prontos ou prontos para o consumo e que sejam duráveis, acessíveis, convenientes e palatáveis. Os processos empregados na produção costumam caracterizar esses alimentos como salgados, curados, adoçados, assados, fritos, defumados ou em conserva, além de poderem inserir aditivos conservantes ou cosméticos, vitaminas e minerais sintéticos e utilizarem tipos sofisticados de acondicionamento.”


O elevado consumo de alimentos ultraprocessados e sua relação positiva com a ingestão de sódio, colesterol e gorduras chama a atenção para a realização de intervenções visando a redução da ingestão desse grupo de alimentos



Problemática dos ultraprossessados


“Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), as doenças crônicas não transmissíveis (DCNT) são responsáveis por 68% das 56 milhões de mortes em todo o mundo no ano de 2012, sendo que mais de 40% foram mortes de indivíduos com menos de 70 anos de idade.¹ A alimentação pouco saudável e a falta de atividade física, além do álcool e fumo, são as principais causas das DCTN e contribuem para o atual cenário mundial de grande prevalência dessas doenças e suas complicações.² Parte desse panorama mundial é caracterizado por mudanças alimentares que envolvem a substituição de alimentos in natura e minimamente processados por alimentos industrializados prontos para o consumo (processados ou ultraprocessados), ricos em sódio e açúcar, tendência também observada em áreas metropolitanas do Brasil em 2002/2003.


Essas transformações promovem desequilíbrios nutricionais e uma ingestão excessiva de calorias, contribuindo para o aumento de obesidade, diabetes melito (DM), hipertensão arterial sistêmica (HAS), doenças do coração e câncer. 4 Uma dieta saudável deve conter, pelo menos, 400g (5 porções) de frutas, verduras e legumes diariamente, além de reduzir o teor de açúcar, sódio e gorduras saturadas oriundos de alimentos industrializados.5 No Brasil, as recomendações oficiais priorizam a redução patente do consumo de alimentos ultraprocessados, bem como o aumento das práticas culinárias e da ingestão dos alimentos in natura e minimamente processados. 6 As atividades na atenção primária orientadas a promover alimentação saudável e a reduzir os demais fatores de risco para DCNT incitam a população ao autocuidado, sendo o Guia Alimentar para a População Brasileira6 um importante material de apoio pois aborda as principais recomendações para uma alimentação saudável e desencoraja contundentemente o consumo de alimentos ultraprocessados.” Fonte Ministério da Saúde


Somos o que comemos, saúde começa no prato.


É preciso estar atento aos rótulos e a forma mais interessante de alimentar seu corpo com alimentos do bem é preparando eles. Nesse momento temos a oportunidade de nos conectar com esse alimento, sua origem, quem plantou, cuidou e colheu e como ele chegou até nós. Que vem da terra com a energia do sol para nutrir nosso corpo, ajudando a manter suas funções em equilíbrio.

Guia alimentar População Brasileira

Veja mais aqui.


Torta de Cacau a base de plantas, com muito sabor e saúde!

Pensando em alimentos limpos vemos que a solução está a gente entrar na cozinha para conhecer e experienciar, conhecendo integralmente os ingredientes que irão compor nossa refeição que também pode ser nossa medicina. Alimentação saudável e sustentável não é sobre se restringir, mas fazer escolhas inteligentes com receitas funcionais e que trazem muito sabor a nossa vida! Esperamos que goste e faça essa receita, marca a gente para sabermos como ficou por ai! Lembrando que sempre é possível fazer alterações usufruindo o que temos em casa, toda receita é uma inspiração e podemos aperfeiçoar ela e aprimorar a partir de nossos gostos e necessidades. Vamos a receita?

Receita!


Base

· ½ xícara Semente de girassol

· 4 colheres de sopa Semente de abóbora*

· 1 xicara de aveia

· ½ xícara de Uva passa branca

· 2 colheres de sopa Chia*

· 2 colheres de sopa Linhaça*

· 2 colheres de sopa de maca peruana*

· 1 colher de sopa de Óleo de coco


Modo de preparo: Hidrate a semente de girassol e abóbora por 12h, trocando a água depois de 6h para germinar suas sementes e potencializar seus benefícios.A uva passa também será hidratada para incorporar a massa de nossa base, você pode deixar ela junto com as sementes ou em um pote separado pois não precisa trocar a água, aproveitando o caldo que ela irá soltar para adoçar sua receita. Em um pote separado hidrate também a chia e linhaça para formar a famosa mucilagem que é super nutritiva e benéfica ao nosso organismo. Após essa primeira etapa, escorra bem as sementes e leve ao processador junto com a uva passa. Guarde a água da uva passa que iremos usar logo mais! Quando estiver uma massa homogênea e densa, adicione a chia e linhaça hidratada e o óleo de coco. Essa receita é muito versátil e eu dobrei essa parte aqui em casa e também preparei barrinhas para comer ao longo do dia.


Vemos uma controvérsia das barras de cereal com grande quantidade de glicose e conservantes, vazias em nutrientes e vitaminas. A melhor alternativa é preparar a sua em casa e ainda economiza bastante! Essa receita é ótima para isso, podendo levar a uma forma untada e fazer o formato que desejar. Você pode ou levar a geladeira ou ao forno para ficar mais crocante. Optei por levar ao forno aqui por 20 minutos a 160 graus, ficou uma delicia! Em algumas eu adicionei em cima a cobertura de ganache e morango para ficar ainda mais perfeita.

Recheio

· 1 abacate grande

· 4 colheres de sopa de cacau

· ¼ xícara de água da uva passa

· 6 tamaras

· 1 colher de chá de canela


Para adoçar você pode optar também por açúcar demehara, uva passa, xilitol, açúcar mascavo ou melado. Uma boa ideia é hidratar as tâmaras também, pode ser com a água da uva passa para facilitar na hora de levar ao liquificador. Bata tudo junto adicionando água aos poucos e misturando bem até formar um creme na consistência de mousse.


Cobertura de ganache

· ½ barra de Chocolate 70% vegan

· ½ xícara de Leite de coco

Modo de preparo: Você pode optar por preparar o leite de coco em casa ou comprar pronto. Se você quiser comprar pronto lembre de ler bem o rótulo para certificar que está comprando leite de coco o mais natural possível. Leve o chocolate em banho Maria e adicione o leite quente, misture bem até formar uma ganache maravilhoso e consistente.


Cobertura morango

· 8 Morangos

· 1 colher de chá de Agar Agar

· ½ xícara de água

· 3 colheres de melado

Modo de preparo : Lave bem os morango e adicione em uma panela com a água. Deixe ferver até formar uma calda e adicione o Agar Agar e o melado. Misture bem. Aqui você pode optar por usar açúcar demehara, açúcar mascavo, xilitol, uva passa branca ou tâmaras para adoçar.




Montando a torta

Primeiro passo para montar sua torna a base de plantas é fazer a base. Unte a forma com óleo de coco e adicione a massa aos poucos enquanto molda ela. Utilizei aqui uma forma redonda, mas você pode fazer no formato que desejar. Também é possível fazer porções menores em formas de cupcake, fica uma delicia para levar de lanche ou presentear alguém com essa delicia. Após fazer a borda, adicione o recheio de abacate com cacau. Por fim adicione a cobertura de cacau e leve na geladeira! A cobertura de morango gosto de colocar apenas quando servimos um pedaço por ter uma validade menor que o restante dos ingredientes.


Torta vegana, sem glúten com muito sabor e saúde para adoçar nossas vidas sem culpa!



Vamos conhecer mais sobre os benefícios que compõem essa torta maravilhosa?


>> Semente de Chia

A chia (Salvia hispânica L.) é uma planta herbácea que pertence à família das Lamiaceae, nativa do sul do México e do norte da Guatemala, que devido ao seu elevado valor nutricional começou a ter um lugar importante nas escolhas dos consumidores .

A semente era consumida pela comunidade maia para dar força e energia. Existe até uma lenda que diz que eles caminhavam 24 horas tendo comido apenas chia. Ou seja, pode ser uma boa opção para misturar em um lanche pré-treino ou mesmo no café da manhã, para começar bem o dia.

Entre os seus diversos nutrientes destacam-se as proteínas e os minerais, como cálcio, fósforo, ferro, magnésio, manganês, selênio e zinco.

É rica em ômega 3, um ácido graxo com ação anti-inflamatória que muito já falamos por aqui seus benefícios a nossa saúde.

Ela melhora o funcionamento do organismo como um todo, sendo rica em vitaminas do complexo B que são fundamentais para o sistema nervoso, além de auxiliarem no metabolismo celular, fazem que o nosso corpo funcione melhor. Sua porção tem 13% da necessidade diária de niacina e cerca de 5% de riboflavina.


Ótima para aderirmos na alimentação visando fortalecer nosso sistema imune, muito importante nos dias de hoje e sempre, por ser rica em zinco, mineral que melhora a imunidade, o olfato e a visão. A porção contém cerca de 12% da nossa necessidade diária de zinco. É também rica também em cobre outro potencializador da imunidade. Outras funções: o cobre favorece a absorção do ferro e é catalisador na formação da hemoglobina, atuando contra a anemia. O zinco promove a liberação do hormônio do crescimento.

Rica em manganês, mineral essencial para melhorar a absorção dos nutrientes, pois favorece a síntese e ação de enzimas que desempenham papel importante no metabolismo de carboidratos, proteínas e colesterol. Possui ação antioxidante e é excelente para cicatrização. Também favorece o crescimento ósseo e do tecido conjuntivo. A sua porção tem cerca de 63% da necessidade diária de manganês.


O magnésio é mineral essencial para o bom funcionamento do nosso cérebro e das ligações cognitivas. Sua porção possui 28% da nossa necessidade diária de magnésio.

A chia pode ser consumida pura ou misturada em sucos, shakes, vitaminas, iogurtes, frutas, cereais matinais e saladas, bem como adicionada à massa de pães, bolos, tortas e biscoitos. Os especialistas costumam recomendar a ingestão de duas colheres de sopa da semente, diariamente. Podemos também se beneficiar de suas propriedades através do consumo do óleo de chia, adicionando em saladas e nos shakes, como também na forma de suplementação.

DICA: Hidratar a chia antes de consumi-la, isso faz com que os nutrientes possam ser melhor aproveitados pelo nosso corpo, além de favorecer a saciedade e o funcionamento do intestino. O preparo é bem fácil e pode ser feito na hora do consumo: Para a porção de 2 colheres de sopa de semente adicione cerca de 50ml (¼ xícara) de água morna e mexa até formar o gel.