Saúde Integral com Triphala




Triphala é um blend composto por três frutas medicinais da Índia: Haritaki (Terminalia chebula), Amalaki (Emblica Officinalis) e Bibitaki (Terminalia bellerica), por esse motivo recebe tal denominação. Pertencentes respectivamente as famílias Combretacea, Euphorbiacea e Combretacea. Empregada a milhares de anos e renomada na medicina Ayurveda . Abrange inúmeras atividades terapêuticas, em destaque no combate ao estresse oxidativo e na proteção contra distúrbios gastrointestinais e disfunções cardiovasculares. Essa espécie atua em sinergismo, pela qual ocorre a atividade medicinal. Constituída de substâncias, como os bioativos essenciais do composto, alcalóides, flavonóides, taninos, óleos essenciais, saponinas, compostos fenólicos e terpenóides. Triphala apresenta padronização em 40% de taninos, responsável pelos efeitos benéficos no organismos (SUDHANSHU et al., 2016).



Diferenciais de Triphala


  • Atividade antioxidante

  • Atividade anti-bacteriana

  • Melhora os parâmetros da síndrome metabólica



Indicações e ações farmacológicas


A Triphala é um suplemento alimentar, empregado naturalmente devido ao seu uso na desintoxicação e pela sua capacidade de nutrir, dada a sua composição de fitoquímicos. Além disso foram observados efeitos capazes de ocasionar a diminuição da pressão arterial alta, reduz os níveis séricos do colesterol, previne a colite ulcerosa e a inflamação do intestino grosso. Demonstraram efeitos laxativos, propriedades anti-inflamatórias, analgésica, antiartrítica e anticancerígenas.


Triphala possui substâncias que proporcionam a prevenção e o tratamento de diversos distúrbios, atuando na redução dos radicais livres, principais parâmetros que são observados nessa problemática. É alternativa natural ao uso de fármacos convencionais, realizando o controle da problemática como um todo e não apenas de parâmetros isolados. (CAPELO et al., 2016)



  • Atividade Antioxidante


A instabilidade entre as moléculas oxidantes e antioxidantes refletem em danos celulares, pelos radicais livres, induzindo ao estresse oxidativo. Esses danos estão associados a diversas doenças, inclusive as neurodegenerativas, cardiopatias, problemas pulmonares, problemas cutâneos e aterosclerose. Além disso, o estresse oxidativo e a gerações de radicais livres, tem uma negativa ação no processo de envelhecimento precoce, ocasionando o aparecimento de manchas na pele, rugas e flacidez, contribuindo maleficamente para a pele e o organismo. Dessa forma, foi confirmado em estudos que o DNA também pode ser danificado através dos radicais livres. (Sies et al. 1993) O uso de compostos antioxidantes é um dos mecanismos de defesa contra os radicais. Triphala é rico em taninos e responsável pelo principal efeito de captadores de radicais livres, que interceptam o oxigênio ativo formando radicais livres estáveis. (MONTEIRO et al., 2005).


O uso regular de antioxidantes, produz efeitos benéficos para cuidados cutâneo, atuam no rejuvenescimento, dada pela exposição à luz e na melhoria do aspecto e qualidade da pele, sendo assim é possível atrasar o envelhecimento cutâneo através da suplementação.( FONTES, 2013). Dessa maneira o estudo afirma a capacidade do potencial da ação antioxidante do Triphala, responsável pela eliminação de radicais livres, prevenindo e tratando diversas patologias.


  • Atividade anti-bacteriana


A atividade antimicrobiana foi testada contra os diferentes extratos, pelo protocolo padrão. O teste antimicrobiano se baseia em determinar a zona de inibição (em mm), onde a zona máxima de inibição indica a atividade antimicrobiana máxima. Verificou-se que o crescimento da inibição microbiana foi induzido pelos extratos, contra as cepas bacterianas patogênicas, apresentaram uma zona inibidora significativa em comparação a gentamicina, o antibiótico padrão. Portanto o estudo demonstra que a Triphala possuí atividade significativa antimicrobiana, capaz de inibir o crescimento de microorganismos. (SUDHANSHU et al., 2016.)


  • Melhora de parâmetros da síndrome metabólica


O acúmulo de placas de gordura está intimamente ligada ao estresse oxidativo, em razão de que seus principais determinantes estão a hiperlipidemia e hiperglicemia, onde ocorre uma transformação nas lipoproteínas de baixa densidade (LDL), favorecendo a sua captação pelos receptores seavengers de macrófagos sub-endoteliais, que acarreta na inflamação do vaso, essas mudanças estão entre as ocorrências mais precoces na formação da placa aterosclerótica. Já a diabetes melito (DM), é intitulada pelo papel do efeito oxidativo, colabora para a inflamação e disfunção endotelial, que lesam os endotélios da macro e microcirculação, ainda está relacionado na disfunção da hipertensão arterial sistêmica, um dos mecanismos que pode estar envolvido a elevação dos níveis pressóricos, parecer ser a up-regulation dos receptores AT1 renais, da angiotensina II, logo propicia a retenção de sódio, reduz a biodisponibilidade de óxido nítrico e com posterior aumento na geração de nirotirosina e outros produtos nitrados que são marcadores do estresse oxidativo.(CATANIA et al., 2009) Assim Triphala colabora para a redução dos níveis de HDL, previnem a aterosclerose, protegem endotélio, e aumentam o óxido nítrico refletindo na estabilização da pressão arterial.


  • Beneficia a microbiota intestinal


Os constituentes da Triphala, como a quercetina e o ácido gálico, auxiliam a colonização de espécies de Bifidobacteria e Lactobacillus, combatendo o crescimento de colonizações indesejáveis no intestino como E.coli, ainda as bactérias do ácido lático possuem uma atividade enzimática, como a tannase, que degrada os taninos vegetais. O ácido gálico, polifenóis e ácido chebulínico, são transformados pela microbiota intestinal humana em metabólicos como urolitinas, que previne os danos oxidativos e diminuí a inflamação. Os benefícios pelo compostos podem ser comtemplados em pessoas de todas as idades e podem ser aumentados pela administração de espécies probióticas especificas, pode ser realizadas formulações probióticas consistindo em espécies capazes de mediar o aumento da digestão, bioabsorção e bioatividade. (CHOPRA; DENNISTON; PETERSON, 2017)



Posologia e modo de usar


Ingerir uma dose de 250mg a 500mg de Triphala, administrados uma vez ao dia.



Contraindicações


A administração oral de Triphala, nas doses recomendadas, apresenta boa tolerabilidade. Não é recomendado para gestantes e lactantes.



A sua saúde em boas mãos.



Fonte: Material do Fornecedor | Florien


135 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo