top of page

Polifenóis | Vamos conhecer seus benefícios à nossa saúde?

Atualizado: 8 de abr.



Polifenóis

Vamos conhecer seus benefícios à nossa saúde?



Os polifenois são chamados metabólicos secundários, ou seja são produzidos pelas plantas quando passa por algum estimulo externo. Esses compostos fenólicos podem ser mais produzidos com a falta de agua ou excesso dela, pela presença de microrganismo ou incidência solar, por exemplo. São compostos orgânicos caracterizados pela presença de múltiplas unidades estruturais de fenol, encontrados em alimentos de origem vegetal como frutas, sucos, chás, café e vinho tinto. Contribuem também para a ingestão de polifenóis os legumes, cereais, cacau e leguminosas secas.


Os polifenóis, ou também chamados de compostos fenólicos, corresponde a um grande grupo que se divide em dois: os flavonoides e os não flavonoides.


  • Flavonoides temos por exemplos as catequinas e antocianinas. As antocianinas sáo responsáveis, por exemplo, pela coloração roxa que a gente encontra nos mirtilos e uva.

  • Não flavonoides temos como destaque o Resveratrol, o polifenol mais estudado e com maiores pesquisas que comprovam suas diversas propriedades medicinais e terapêuticas. Nos não flavonoides temos também, por exemplo: Estilbenos - Encontrados no vinho tinto e no amendoim. Lignanas - Encontrados nas sementes de linhaça, legumes, cereais, grãos, frutas, algas e certas hortaliças. Ácidos fenólicos - Presentes no chá verde, na canela, no café e em frutas como mirtilo, kiwi, ameixa, maçã e cereja.


Na última década, muitas pesquisas têm sido desenvolvidas devido ao interesse nos potenciais benefícios que os polifenóis podem oferecer à nossa saúde.


Estudos epidemiológicos sugerem fortemente que o consumo em longo prazo de dietas ricas em polifenóis oferece proteção contra o desenvolvimento de câncer, doenças cardiovasculares, diabetes, osteoporose e doenças neurodegenerativas.


Por serem substâncias com ação antioxidante, os benefícios principais são a prevenção de doenças cardiovasculares e neurodegenerativas, câncer e diabetes.


Propriedades gerais!

  • Anti-infecciosos potentes com largo espectro de ação

  • Tônicos e estimulantes em geral

  • Antibacteriano

  • Antivirótico

  • Antifúngico

  • Antiparasitários

  • Imunoestimulante

  • Antioxidantes

  • Termogênicos


Como os polifenóis funcionam no corpo?


Muitos benefícios do micronutriente vêm de seus efeitos antioxidantes e anti-inflamatórios.

A propriedade antioxidante é muito importante pois ela impede a produção de radicais livre em nossa corpo. Os radicais livres que são átomos ou moléculas reativas que podem causar danos a diversas funções fisiológicas do organismo. O desequilíbrio entre moléculas oxidantes e antioxidantes pode gerar efeitos nocivos para o mesmo, causando lesões musculares e danos celulares, prejudicando o desempenho dos atletas e causando o envelhecimento precoce


Estudos sugerem que metabólitos como os polifenóis, flavonóides, antocianinas entre outros, presentes em frutos e plantas atuarão na nutrição preventiva, já que beneficiam o organismo com ação antioxidante atenuando danos oxidativos gerados pelos radicais livres nas células . Atualmente a atenção dos pesquisadores tem se voltado para efeitos de compostos bioativos nutracêuticos como polifenóis na prevenção de doenças relacionadas com estresse oxidativo, podendo citar as cardiovasculares, oncológicas e relacionadas ao envelhecimento.(UNISINOS, Aline da Silva Furlan; Lovaine Rodrigues )



Quais os benefícios dos polifenóis?


Os polifenóis servem para realizar diversas funções em nosso organismo, sendo que as principais são:

  • Fornece mais energia ao corpo

  • Aumenta a disposição do individuo

  • Protege contra o câncer

  • Auxilia contra doenças cardiovasculares

  • Previne contra a diabetes tipo 2

  • Previnem a doença de Alzheimer

  • Previne contra a osteoporose

  • Ajuda a emagrecer

  • Atuam na saúde do trato gastrointestinal

  • Aumenta a contagem de bactérias saudáveis ​​associadas à perda de peso


Quais alimentos possuem polifenóis?

Os polifenóis podem ser encontrados em dezenas de alimentos, visto que existem mais de 500 tipos diferentes dessa substância, assim você poderá ter uma alimentação muito mais aberta para conseguir obter os benefícios desse produto em seu corpo.


A seguir você encontrará alguns dos alimentos que são ricos em polifenóis:


  • Amora

  • Ameixa

  • Amendoa

  • Alcachofra

  • Aspargos

  • Café

  • Cranberry

  • Chocolate (amargo)

  • Chá verde

  • Vinho tinto

  • Gojiberry

  • Maça

  • Iogurte de soja

  • Nozes

  • Mirtilo

  • Espinafre

  • Cebola roxa

  • Farinha de linhaça

  • Cacau em pó

  • Cúrcuma

  • Chá verde

  • Orégano mexicano desidratado

  • Cravo da índia

Esses são apenas alguns dos vários alimentos que são ricos em polifenóis, sendo que você ainda pode encontrar esse componente em várias substâncias. Acrescente esses alimentos em sua dieta e você terá excelentes resultados.



E o suplemento?


Na Boaformula você encontra uma Fórmula com Polifenóis, desenvolvida pensando na correria do nosso dia-a-dia e a necessidade de ingerirmos a quantidade necessárias desses antioxidantes diariamente.


FÓRMULA COM POLIFENÓIS >> Contém Cranberry, Gojiberry, Mirtilo e Resveratrol em uma fórmula para tomar 1 cápsula 2 vezes ao dia.


Vamos conhecer os ativos da Fórmula com Polifenóis?


>> Cranberry


O Cranberry é rico em proantocianidina, substância apontada por estudos como sendo de 15 a 25 vezes mais potente do que a vitamina E para inibir a aderência e evitar a translocação (saída do intestino para o trato urinário) de bactérias principalmente do tipo E.coli na mucosa da bexiga, combatendo infecções do trato urinário, como por exemplo a cistite. O Cranberry ainda oferece substâncias antioxidantes, como os flavonoides e ácidos fenólicos ao organismo.


O Cranberry pode ser muito poderoso também em outros aspectos da nossa saúde, como:


· Trata infecções urinárias

· Previne diversos tipos de câncer

· Melhora o funcionamento do intestino

· Previne doenças dos dentes e relacionados na boca

· Melhora o sistema imunológico, prevenindo resfriados e gripes

· Previne o envelhecimento precoce lutando contra radicais livres

· Previne e trata doenças cardiovasculares


Veja mais aqui.



>> Goji Berry


O Goji Berry tem ação antioxidante, possui uma grande quantidade de polifenóis como antocianina e resveratrol, protegendo o corpo do envelhecimento precoce. É conhecida como a fruta da longevidade entre os tibetanos. Afasta doenças degenerativas como o câncer, por conter fitonutrientes chamados de betaina e germânio, que também combatem a produção de radicais livres.


O alto teor de aminoácidos encontrado no Goji Berry reforça e mantém os vasos sanguíneos elásticos, enrijece os músculos e evita a flacidez. Por ser uma excelente fonte de vitamina C, melhora a energia e o bem estar de uma forma geral. Boa concentração de vitaminas do complexo B, mantendo o sistema imunológico saudável e funcionante.



>> Mirtilo


O mirtilo é uma planta frutífera de clima temperado pertencente à família Ericaceae e ao gênero Vaccinium. Possui porte arbustivo, com hábito ereto ou rasteiro produzindo frutos tipo baga, de coloração azul escura e formato achatado, coroada pelos lóbulos persistentes do cálice, com muitas sementes envolvidas por uma polpa de coloração esbranquiçada de sabor doce-ácido. Sua riqueza em pigmentos antociânicos, substâncias de alto poder antioxidante e preventiva de doenças degenerativas, seu sabor único e sua cor inconfundível são fatores que atraem diretamente o consumidor.


Apresentam características como, elevado vigor, plantas longevas, produtividade alta, tolerância ao calor e à seca, baixa exigência na estação fria, floração precoce, longo período entre floração e maturação e frutos firmes com longa vida pós-colheita, desde que conservados adequadamente.


O mirtilo e seus produtos são conhecidos pela sua elevada concentração de polifenóis totais.


Indicações e Ação Farmacológica

Antioxidante, prevenção da neurodegeneração e defeitos cognitivos, doenças cardiovasculares, câncer, antidiabético e melhora na acuidade visual. Entre os antioxidantes presentes nas frutas e vegetais, os mais ativos e frequentemente encontrados são os compostos fenólicos, tais como os ácidos fenólicos e flavonoides. A eles são atribuídas à capacidade de sequestrar os radicais livres, devido às propriedades de óxidoredução, desempenhando importante papel na eliminação e desativação desses radicais. O mirtilo apresenta em sua composição alta concentração desses compostos fenólicos, sendo superior a maioria das frutas.


Estudos epidemiológicos e in vitro sugerem que o mirtilo ajuda a manter a saúde e atua como obstáculo aos efeitos do envelhecimento, particularmente com respeito à neurodegeneração e defeitos cognitivos. Há ainda evidências de sua atuação na prevenção de doenças cardiovasculares e alguns tipos de câncer. Muitos dos efeitos benéficos parecem estar relacionados às propriedades antioxidantes dos compostos fenólicos presentes na fruta.

Estudos mais recentes têm sugerido que os mirtilos possam conferir proteção contra doenças cardiovasculares, ter propriedades antidiabéticas e contribuir para melhorar a acuidade visual. Todos estes efeitos benéficos na saúde parecem estar pelo menos em parte, associados com o elevado teor em polifenóis que estes frutos apresentam.



>> Resveratrol


O resveratrol é uma fitoalexina polifenol de origem vegetal, encontrado nas uvas, amendoins, plantas medicinais e processados como o vinho. Vários fungos, incluindo Botryosphaeria, Penicillium, Cephalosporium, Aspergillus, Geotrichum, Mucor e Alternaria, também são importantes fontes de resveratrol. As concentrações destes fenólicos podem variar, dependendo da espécie da planta.


Indicações e Ação Farmacológica


As moléculas do Resveratrol são produzidas pelas plantas em situações de estresse leve, e quando esta substância é levada para o organismo humano atua como antioxidante natural protegendo o corpo do envelhecimento celular e aumentando a longevidade. Pode ser indicado na prevenção de doenças cardiovasculares por ser um inibidor da agregação plaquetária, combater o colesterol (LDL) e melhorar a flexibilidade dos vasos sanguíneos.

Foi realizado um estudo sobre longevidade na Drosophila melanogaster, mosca bioquimicamente semelhante ao ser humano. O tratamento com a molécula de Resveratrol tornou mais ativa a parte do cromossomo em que estão os genes controladores da longevidade da Drosophila e responsáveis por enzimas de reparação de DNA. Segundo o Professor Gilson Cunha essa atividade ajudaria a suprimir o acúmulo de danos ao DNA, mecanismo fundamental no surgimento de câncer e outros distúrbios.


Em 2006, um estudo realizado por Sinclair mostrou que o Resveratrol neutralizou os efeitos negativos de uma dieta rica em gordura nos ratos. A dieta rica em gordura forneceu 60% de energia proveniente de gordura, e os ratos consumiram cerca de 30% em calorias, mais do que os ratos na dieta padrão. A insulina e a glicose em ratos na dieta com alto teor de gordura + Resveratrol estavam mais próximos dos ratos na dieta padrão do que os ratos na dieta com alto teor de gordura. Além disso, existem estudos que relacionam o uso do resveratrol com a melhora do desempenho atlético e também com a redução da pressão arterial em idosos.


· Reduz a produção de LDL (o colesterol “ruim ou de baixa densidade) e aumenta a produção de HDL (o bom colesterol ou de alta densidade) pelo fígado;

· Aumenta a resistência física;

· Reduz a pressão arterial;

· Bom para o cérebro: aumenta o fluxo de sangue para a cabeça;

· Pode combater a obesidade;

· Protege os ossos;

· Aumenta a produção de testosterona;

· Retarda o envelhecimento;

· Faz bem para a pele porque previne a degradação do colágeno.



Outros ativos que podem ser suplementados, são:


>> Chá verde


O chá produzido a partir das folhas da planta Camellia sinensis é, depois da água, a bebida não alcoólica mais consumida no mundo. Durante séculos, o chá tem sido considerado pelos orientais como uma bebida saudável, sendo utilizado na China há aproximadamente 3.000 anos, sendo este país o seu principal produtor. A C. sinensis é amplamente cultivada no sul da Ásia, incluindo China, Índia, Japão, Tailândia, Sri Lanka e Indonésia.


A medicina chinesa tradicional recomenda o consumo do chá, pois o considera uma bebida benéfica à saúde, devido às suas propriedades antioxidantes, antiinflamatórias, antihipertensivas, antidiabéticas e antimutagênicas.


Indicações e Ação Farmacológica


Os polifenóis contidos no Chá verde são as catequinas, com múltiplas estruturas ligadas como anéis. Os Polifenóis são uma forma de bioflavonóides com vários grupos de fenol. Eles controlam as atividades do sabor e ações biológicas. A dominante e mais importante catequina do Chá verde é (-) Epigallocatechina Gallate (EGCG), um potente antioxidante utilizado na produção de alimentos, assim como em pesquisas com animais. Os grupos de fenóis capturam pró oxidantes e radicais livres. EGCG chega a ser 200 vezes mais poderoso do que a vitamina E em neutralizar os pro-oxidantes e radicais livres que atacam os lipídios no cérebro, in vivo. É 20 vezes mais potente que a vitamina E em reduzir a formação de peróxidos pelo método do oxigênio ativo, in vitro.


O Chá verde extrato é usado primeiramente por sua capacidade de combater radicais livres, mas existem várias outras aplicações. Seu ingrediente chave (-) Epigallocatechina Gallate (EGCG), protege contra infecções digestivas e respiratórias. (Uma solução de 1 mcg/ml de EGCG inibiu a influência de vírus in vitro). Isto ajudou a bloquear as ações progressivas do câncer, luz ultravioleta, e metástase em sinais de nascença da pele, estômago,intestino, fígado ou pulmões. Altas quantidades (0.5% a 1% da dieta) foram protetoras contra os níveis de colesterol LDL em uma dieta, colesterolêmica em ratos. Catequinas cruas a 0.5% da dieta mostrou ser efetiva em reduzir as pressões sanguíneas em ratos hipertensivos. EGCG também reduz a agregação plaquetária mais do que a aspirina ou a Ginkgo biloba extrato seco.


Chá verde é muito efetivo em inibir bactérias patogênicas que causam o envenenamento alimentar, mas aumenta os níveis de acidophilus (bactéria amigável), 500 mg catequinas (250 mg EGCG) diariamente regularizou os hábitos intestinais significantemente. Chá verde extrato seco também bloqueou a associação da bactéria associada com a cárie dental.


Toxicidade/Contraindicações> O Chá verde não tem potencial para causar mutações ou problemas de nascimento e não possui contraindicações durante a gravidez, feritlidade ou enfermidades. O Chá verde extrato seco (Green tea) não é considerado tóxico quando tomado em doses elevadas e em longo prazo.



>> Quercetina


A quercetina, o mais abundante flavonóide presente na dieta humana, representa cerca de 95% do total dos flavonóides ingeridos. Está presente nos vegetais, frutas e sucos. São encontradas altas concentrações de quercetina em maçãs, cebolas, chá e vinho tinto.


Indicações e Ação Farmacológica


A Quercetina apresenta propriedades anti-inflamatórias, anticarcinogênica, atua no sistema imunológico, tem atividade antiviral, reduz o efeito da formação de cataratas nos diabéticos, é hepatoprotetora e gastroprotetora. Há inúmeras aplicações na medicina principalmente nos tratamentos de problemas circulatórios e capilares, incluindo inflamações de qualquer tipo.


Atividade Antioxidante: Entre suas principais ações, destaca-se o seu poder de remover os radicais livres, exercendo um papel citoprotetor em situações de risco de dano celular. A Quercetina demonstrou inibir in vitro a oxidação da lipoproteína de baixa densidade (LDL) por macrófagos e reduzir a citotoxidade da LDL oxidada. Junto com a vitamina C, demonstrou efeitos sinérgicos na função antioxidativa. O ácido ascórbico age como um redutor da oxidação da Quercetina, de maneira que combinados, a vitamina C permite uma sobrevivência maior do flavonóide para cumprir suas funções antioxidativas. Por outro lado, a Quercetina protege a vitamina E da oxidação, com a qual também apresenta efeitos sinérgicos.


Atividade Cardiovascular: A mesma propriedade antioxidante descrita anteriormente é suficiente para reduzir o risco de morte por doenças e danos cardíacos. Neste sentido, a Quercetina demonstrou diminuir a incidência de infarto do miocárdio e derrames cerebrais em pessoas da terceira idade. Também demonstrou efeitos vasodilatadores na aorta isolada de ratos, efeitos antitrombóticos (por uma ligação seletiva na parede plaquetária) e diminuiu as lesões de reperfusão do miocárdio. Devido à inibição da peroxidação lipídica, a Quercetina protege o endotélio da destruição local por prostaciclina e o fator de relaxamento derivado do endotélio.


Atividade Anti-inflamatória: No mecanismo antioxidante sobre a peroxidação lipídica da Quercetina, está envolvida a via do ácido araquidônico o qual implica uma atividade anti-inflamatória paralela.


Atividade Antitumoral: Um dos mecanismos de ação da Quercetina como agente antiproliferativo de células tumorais é através de sua capacidade antimutagênica e de seu poder antioxidante.


Atividade Imunológica: Diferentes estudos têm constatado o fortalecimento do sistema imunológico, em especial no trato gastrointestinal, a partir da administração de Quercetina. Também demonstrou-se ter poder estabilizador nos mastócitos impedindo a ação da histamina durante as reações alérgicas e inibindo a formação de leucotrienos. Tem evidenciado, também, um efeito antifúngico em cultivos de Candida albicans, um fungo oportunista que pode surgir em quadro de imunodepressão.


Atividade Antiviral: Demonstrou-se poder interferir com a infectividade e replicação de adenovírus, coronavírus e rotavírus em cultivos celulares.


Efeitos na Formação de Catarata em Diabetes: Como é conhecida, a catarata é uma complicação relativamente comum em quadros de diabetes. Entre os mecanismos de ação descobriu-se que a enzima aldolase-reductase tem papel gerador de catarata. Diferentes experiências demonstraram atividade inibitória da Quercetina sobre esta enzima, que seria do tipo não-competitiva e uma das mais potentes entre os diferentes agentes inibidores testados.



>> Curcuma


A cúrcuma é uma especiaria que tem recebido muito interesse tanto do mundo médico e científico quanto no mundo da culinária. As propriedades medicinais da cúrcuma são conhecidas há milhares de anos; no entanto, a capacidade de determinar os mecanismos de ação e determinar os componentes bioativos foi investigada apenas recentemente. A curcumina (1,7-bis (4-hidroxi-3-metoxifenil) - 1,6-heptadieno-3,5-diona), também denominada difluoroilmetano, é o principal polifenol natural encontrado no rizoma da cúrcuma. Além da curcumina, outros curuminoides importantes estão presentes na Curcuma longa, que são eles a demetoxicurcumina e bismetoxicurcumina. Os curcuminóides apresentaram várias atividades, principalmente antioxidantes e anti-inflamatórias, resultando na ação em diversos marcadores e trazendo vários benefícios.


Conheça o CurcuVail

CurcuVail é um extrato único da Curcuma longa, padronizado em 35% de curcuminoides totais, sendo eles a curcumina, demetoxicurcumina e bisdemetoxicurcumina. CurcuVail é um ativo inovador, desenvolvido através de tecnologia de dispersão que promove maior solubilidade e biodisponibilidade da curcumina, melhorando sua absorção e aplicação em diferentes formas farmacêuticas.


Veja mais sobre a curcuma aqui.

Veja mais sobre o CurcuVail aqui.



A sua saúde em boas mãos.

1.011 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page